Páginas

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Plano de Aula - Lição 7



Lição 7: Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Colossenses 3.12-17.
Apresentação
- “Contexto social de crescimento de violência e de muita maldade. Logo, necessitamos de pessoas benignas...”

OBJETIVOS 
I. Reconhecer que a benignidade se fundamenta no amor;
II. Mostrar que a porfia se fundamenta na inveja e no orgulho;
III. Explicar porque precisamos nos revestir de benignidade.

INTRODUÇÃO
- Um aspecto do fruto do Espírito, a benignidade e mais um aspecto das obras da carne, a porfia.

- O crente cheio do Espírito tem um coração benigno e procura ter relacionamentos saudáveis, evitando discussões, disputas e polêmicas.

- O conselho de Paulo a Timóteo e Tito (2 Tm 2.23; Tt 3.9).

I. A BENIGNIDADE FUNDAMENTA-SE NO AMOR
1. O que é benignidade?
- Pra você o que é benignidade?
Benignidade. Qualidade de benigno
Benigno. Índole boa, bom caráter; benevolência, humanidade e bondade, complacente, que não oferece perigo.  

Antônimo. Maligno
Contextualizando o significado.
- No não crente (limitada). Adjetivos, qualidades morais, talvez resultado de boa formação acadêmica e uma família funcional.

- No crente (ilimitada), é o resultado do fruto do Espírito. Logo, firmada em Deus (1Jo 4.8). 

2. Jesus, exemplo de benignidade.
- Jesus, o maior exemplo de benignidade e amor (Jo 3.16).

Jesus
- Amou os ricos e os pobres e sempre ajudou a todos que foram até Ele. Ex. A mulher cananeia (Mt 15.21-28).
- Amou a mulher samaritana (Jo 8.26);
- Amou a mulher adúltera (Jo 8.5.11) – pela justiça ela tinha que ser condenada... mas o amor foi além.

3. A benignidade na prática.
“O evangelista Billy Graham disse que é muito fácil ser indelicado e impaciente com os que erram e falham. É fácil ser bondoso e gentil com quem nos trata bem, mas precisamos ser benignos com aqueles que erram, tropeçam e ainda nos tratam mal”.

- O Espírito Santo, nos leva a ser bondosos em todas as circunstâncias.

Ex. prática da benignidade (Jesus)
- Gentil para com os publicanos e os pecadores (Mt 9.11,12);
- Jesus pousou na casa do publicano Zaqueu (Lc 19.1-10).
- Na cruz, Jesus demonstrou benignidade ao atender o pedido de um salteador (Lc 23.42,43).

Aplicação
Ler. Ef 4.30-32

II. A PORFIA FUNDAMENTA-SE NA INVEJA E NO ORGULHO (Pv 6.16-19)
1. Inimizade e porfia.
- Dicionário Houaiss, inimizade é ódio, indisposição e malquerença;
- Porfia. Contendas de palavras, discussão, disputa e polêmica. Refutação (Ef 4.29; Cl 4.6)

- Ambas são obras da carne, da velha natureza, por isso, devemos fugir de tais ações (Gl 5.20,21).
 
2. Evódia e Síntique.
- Eram irmãs valorosas que serviam a Deus na igreja de Filipos (Fp 4.2). Tudo indica que essas irmãs se deixaram levar pela velha natureza e estavam envolvidas em alguma porfia. Não sabemos ao certo o motivo da diferença entre elas. Alguns autores dizem que foram questões pessoais, outros que se tratava de uma disputa por questões eclesiásticas.

- Porém, tal atitude era reprovável.

3. Miriã e Arão. (Nm 12.1,2)
- Certo dia, Miriã e Arão, irmãos de Moisés, ficaram indignados pelo fato de ele ter se casado com uma mulher cuxita (Nm 12.1).

- Eles não estavam preocupados com Moisés, mas, por trás da porfia, também havia outro sentimento, a inveja. Eles certamente desejavam a liderança do irmão.

- Um sentimento carnal traz consigo outros sentimentos, despertando o que há de pior em cada pessoa.

As consequências da inveja e da porfia
- Foram terríveis para Miriã e para todo o povo, pois tiveram que ficar retidos, em um lugar, até que Miriã pudesse se ajuntar novamente à congregação (Nm 12.15).

Aplicação
- Muitos irmãos parados na igreja, doentes, magoados...
 
III. REVISTAMO-NOS DE BENIGNIDADE (Sl 15.4,5)
1. Retirando as vestes velhas. (coração)
- Ler

2. Sede benignos.
- Por que? Fomos perdoados e justificados por Jesus Cristo e agora o Espírito Santo habita em nós.

- A benignidade é um antídoto e um escudo contra as porfias.

Ser benigno com quem?
- Com quem amamos (At 4.34; Ef 4.32);
- Com os inimigos (Mt 5.44);
- Com quem nos ofendem ou nos magoam (Mt 6.12,14,15).
- Com quem nunca vimos (Lc 10.35). Bom samaritano.

Onde?
- Em qualquer lugar (Aquele, pois, que sabe fazer o bem, e o não faz, comete pecado, Tg 4.17)

3. Imitando a conduta de Paulo.
- O apóstolo Paulo tinha uma vida ilibada, e como líder, era um exemplo para os crentes de Corinto. (1Co 11.1).

- Sua família, seus amigos e seus irmãos em Cristo podem imitar seus atos e suas ações?

- Precisamos também seguir o exemplo do Mestre e nos tornarmos semelhantes a Ele.

- Jesus deve ser o padrão para o nosso viver.

CONCLUSÃO
- Ler e aplicar


Alan Fabiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.