Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Apostasia, fidelidade e diligência no Ministério

Lição 5: Apostasia, fidelidade e diligência no Ministério

TEXTO ÁUREO
“Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1).

Texto base
1 Timóteo 4.1,2,5-8,12,16.
1 — Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios,
2 — pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência,
5 — porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada.
6 — Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.
7 — Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade.
8 — Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir.
12 — Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.
16 — Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.


OBJETIVOS
I. Tratar a respeito da apostasia dos homens.
II. Compreender que o bom ministro deve ser fiel ao Senhor.
III. Refletir a respeito da diligência no ministério.

INTRODUÇÃO
- Nesta lição enfatizaremos o cuidado que os líderes devem ter com os falsos mestres a fim de evitar a destruição do rebanho do Senhor.

- Nesta ótica, Timóteo foi enviado à igreja de Éfeso com o objetivo de combater os falsos mestres e suas heresias.

- Paulo exorta Timóteo no sentido de realizar a sua missão com excelência.

I. A APOSTASIA DOS HOMENS
1. A apostasia.

- Apostasia. Gr. apóstasis, que significa “estar longe de”, isto é, no sentido de “revolta”, “rebelião”, “afastamento doutrinário e religioso”, “apostasia da verdade”. Por isso, apostasia se refere, a uma decisão deliberada, consciente, aberta ou oculta, contra fé genuína do Evangelho.

A Fonte da apostasia


- Espíritos enganadores, como em 1 Jo 4.1.

A apostasia foi profetizada por:
- Daniel, Dn 7.25;
- Jesus, Mt 24.4;
- Paulo, 2 Tss 2.3;
- Pedro, 2 Pe 3.3 e;
- Judas, Jd 18.

Os três elementos da apostasia:
- A fonte: espírito enganadores;
- O ensino: ensino de demônios;
- Os agentes: “alguns” dentro da comunidade cristã.

- A igreja em Éfeso estava sob o ataque dos falsos mestres (1Tm 1.3,4).

2. Doutrinas de demônios (v.1).
- Os falsos mestres eram e continuam sendo uma ameaça para a Igreja de Cristo.
Um exemplo de doutrinas de demônios
- Um líder de uma igreja atribui perfeição e santidade ao número 666, enquanto a Palavra de Deus nos apresenta exatamente o contrário, pois é este o número da “a besta” ou o Anticristo (Ap 13.18).

3. Espíritos enganadores.
- Os espíritos enganadores são a fonte principal da apostasia, ou seja, pessoas que estavam no meio da igreja (1 Jo 2.19) e que se perderam dando ouvidos a falsos ensinos a ponto de serem dominadas por eles. Consequentemente, cauterizaram sua própria consciência, que ocorre quando há uma constância no pecado, assim como aconteceu com os gentios em Ef 4.19; Rm 1.24-25,28. Isso impede que o sujeito volte para à verdade do Evangelho.

- Os falsos mestres agiam com hipocrisia, pregavam mentiras; proibiam o casamento e exigiam abstinência de alimentos. (1 Tm 4.2,3).

Exemplo de doutrina maligna
- Desvalorização do casamento heterossexual (homem e mulher), enquanto o casamento entre homossexuais vem sendo incentivado pelos meios de comunicação. Ou seja, a falsa doutrina deixa de lado a Lei de Deus em troca dos costumes e tradições pecaminosas (Mt 15.6).  

II. A FIDELIDADE DOS MINISTROS
1. O bom ministro (v.6).

- No verso 4. Paulo refuta os argumentos dos apóstatas, afirmando que tudo que Deus criou é bom e nada é recusável, pois são bênçãos de Deus intrinsecamente boas, cf. Mc 7.15.

- Assim o bom ministro é aquele exerce sua responsabilidade para com o rebanho e dá uma resposta moral aos falsos mestres, reagindo positivamente diante da apostasia. Segue as responsabilidades de um bom ministro:
- Expor a doutrina dos apóstatas, vv 1-6;
- Rejeitar, pela força de uma piedade profunda, aquilo que é errado, v 7, inclusive os exercícios do ascetismo físico, v 8;
- Ordenar as coisas certas com toda a autoridade pastoral, v 11;
- Tornar-se padrão, pois os preceitos sem exemplos são vazios, assim como Paulo era padrão (gr tupos “tipo”, Fp 3.17; 2 Ts 3.9), v 12;
- Aplicar-se a todas as partes do culto: à leitura, à exortação, ao ensino, v 13.

2. Rejeitando as fábulas profanas.
- “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade” (v.7). As “fábulas profanas e de velhas”, segundo o Comentário Bíblico Beacon, seriam as superstições ou mitos e lendas a respeito de determinados assuntos.

- Paulo ensina a Timóteo que tais crendices são profanas e não edificam a Igreja.
- Os servos de Cristo devem viver se alimentando da Palavra e meditando nela, não devemos acreditar em tudo que vemos e ouvimos sem antes analisar biblicamente, pois Deus não é Deus de confusão e sim de Paz, 1 Co 14.33.

- O servo de Deus deve aliar a fé com a razão, a fim de evitar o emocionalismo exagerado, antes devemos crescer na graça e no conhecimento, 2 Pe 3.18.

3. O exercício físico e a piedade (v.8).
- Pouco aproveita ou de pequeno valor. Não deve ser entendido em termos depreciativos ou interpretado como se treinar o corpo tivesse pouca utilidade ou até mesmo fosse completamente inútil. Pois o exercício físico é necessário à saúde física e mental, sendo altamente recomendado pelos médicos.

- O texto se refere a ascese, ou ascetismo,  uma doutrina praticada pelos hereges da época, que substituíam a dependência de Deus pelos esforços físico, acreditavam que a prática dos exercícios do ascetismo físico os conduziriam a Deus.

Homem hindú com o braço ressequido de tanto ficar para cima.
- Essa doutrina se assemelha a dos essênios e as praticas de exercícios físicos do hinduísmo, inclui abstinência de alimentos e matrimônio. 

- Ascetismo, substantivo masculino.1. Doutrina de pensamento ou de fé que considera a ascese, isto é, a disciplina e o autocontrole estritos do corpo e do espírito, um caminho imprescindível em direção a Deus, à verdade ou à virtude. 2. O conjunto de práticas, abstenções e comportamentos condicionados por esta doutrina.

- Enquanto que “a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir” (v.8b). Sabemos que o nosso corpo é templo do Espírito Santo, por isso, precisa ser bem cuidado.


III. A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
1. O ensino prescritivo.

- “Manda estas coisas e ensina-as” (v.11). Era uma determinação de Paulo a Timóteo, para que ele não fraquejasse na ministração da doutrina à igreja em Éfeso, visto que as heresias estavam se espalhando com certa facilidade.

- A exortação de Paulo é de grande valor para os dias atuais, em que, em muitas igrejas, há um desprezo pela Palavra de Deus.

- São dedicados muitos minutos para o louvor e alguns minutos para a Palavra, em algumas igrejas infelizmente, apenas 15, 20 no máximo 30min.

2. O exemplo dos fiéis (v.12).
- Timóteo era um jovem pastor, com cerca de 30 a 35 anos, e fora enviado para doutrinar uma igreja, onde já havia anciãos ou presbíteros, com mais idade.

- Por isso, Paulo o exorta a ser um exemplo em tudo.

Aplicação
- O pastor, não importa a idade que tenha, precisa ter consciência de que será sempre um exemplo para o seu rebanho, por isso, precisa ter cuidado com seu modo de falar, agir e até de se vestir.

3. O cuidado que o ministro deve ter com o aprendizado.
- “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá” (v.13). Um ministro do evangelho precisa estar constantemente estudando e aprendendo para que possa exortar, ensinar a Igreja.

- Paulo nos mostra a necessidade do constante aprendizado e meditação nas Sagradas Escrituras, pois é ela quem tem as respostas contra todas as heresias e nela encontramos o alimento espiritual para a igreja de Cristo.

- Infelizmente, há pastores que nunca leram a Bíblia toda. Além da Bíblia é preciso ler outros livros que vão edificar o pastor e contribuir para a edificação da Igreja.


CONCLUSÃO
Temos que ter cuidado, pois atualmente muitos estão apostatando da fé e se deixando levar por doutrinas de homens e de demônios. Para combater os falsos ensinos, o pastor deve conhecer a Palavra de Deus e ensiná-la ao rebanho. O pastor e seus auxiliares precisam conhecer as doutrinas bíblicas a fim de que possam ensinar a sã doutrina. Que o Senhor guarde os ministros e as igrejas dos ataques do maligno, da apostasia nesses últimos tempos que antecedem a vinda de Jesus.







Alan Fabiano


Fonte
Bíblia de Estudo - SHEDD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.