Páginas

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Lição 3: Oração e recomendação às mulheres cristãs

Lição 3: Oração e recomendação às mulheres cristãs

TEXTO BASE

I Timóteo 2.1-5,9-11.
1. ADMOESTO-TE, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e acções de graças, por todos os homens;
2. Pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;
3. Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador,
4. Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade;
5. Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.

9.    Que, do mesmo modo, as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,
10. Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.
11. A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição.

OBJETIVOS
I. Tratar acerca da responsabilidade do crente de orar em favor de todos os homens.
II. Conscientizar-se de que Deus deseja que todos se salvem.
III. Refletir a respeito da maneira como as mulheres cristãs devem se vestir.
IV. Discutir a respeito da conduta das mulheres na igreja.

INTRODUÇÃO
- Nesta lição estudaremos a respeito da ordem na Igreja. Paulo escreveu a Timóteo para orientá-lo no que se refere a administração eclesiástica, que envolvia, desde a ordem no culto quanto santidade dos seus membros.

- Paulo, conhecendo do poder da oração intercessória, instrui a Timóteo a orar por todos os que têm autoridade, a fim de que pudessem viver de modo quieto e sossegado.

- Como Igreja do Senhor precisamos interceder pelas autoridades de nossa cidade, estado e nação, em especial pelas autoridades eclesiásticas que exercem árdua tarefa em nossas igrejas.

- Por fim Paulo trás algumas recomendações para serem ensinadas às mulheres.

I. ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS (2.1)
ADMOESTO-TE, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças, por todos os homens;

- Paulo enfatiza a Timóteo que a oração intercessória
por todos os homens, deveria ser praticada pelos irmãos de Éfeso. Essa orientação tem fundamentos teológicos no AT e NT, no Antigo Testamento podemos citar o caso de Jó (42.10). No Novo Testamento esta oração é mais abrangente, pois temos que orar também pelos nossos inimigos (Mt 5.44; Lc 6.28), além das autoridades constituídas quer sejam boas ou más (v.2). Temos ainda o exemplo maior, pois este vem do Senhor Jesus com o ladrão da cruz (Lc 23.43) e com os seus algozes (Lc 23.34).

- No período em que Paulo escreveu esta carta (54 – 68 d.C), o diabólico imperador Nero exercia plenos poderes.

Eventos espirituais que acontece durante a oração intercessória:
- Renuncia dos nossos interesses em prol do próximo;
- Manifestamos o altruísmo, característica do amor não fingido;
- Quebramos a arrogância e orgulho de dentro do nosso coração;
- Liberamos perdão;
- Aprendemos a amar o inimigo. 

Resultado
- Quando exercitamos essa oração, Deus muda nossa história de caráter e espiritualidade.

- Ações de graça. As orações intercessória, estas deveriam ser acompanhadas de ações de graças, ou seja, o cristão deveria está sempre grato a Deus por tudo que estava acontecendo, independente das circunstâncias (Rm 8.28; 11.36; 1Ts 5.18).

Comentário Apologético
 ADMOESTO-TE, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças, por todos os homens; (2.1). 

- O Catolicismo Romano. Diz que o texto em referência reforça a verdade de que temos que orar por todos os homens, inclusive pelos mortos (1 Tm 2.1)

Resposta Apologética
O propósito de Paulo ao escrever esse tema, é de orientar Timóteo sobre a necessidade de as igrejas já estabelecidas terem uma convivência pacifica com as autoridades, em contra partida, a divulgação do Evangelho seria mais fácil, uma vez que o evangelho não era bem visto política e religiosamente. 

As mesmas orientações, Paulo passou aos Romanos (13.1-7), e a Tito (3.1). Logo, nada no texto em estudo, se refere à oração pelos mortos, e sim às pessoas vivas, as quais poderiam ameaçar a igreja.

II. A SALVAÇÃO DE TODOS
1.“Que todos se salvem” (v.4).
- Paulo continua seu argumento, sobre o dever de todos os cristãos fazerem orações intercessórias por todos os homens, isso inclui principalmente oração para que essas pessoas sejam salvas.

- Paulo então chega a essa conclusão no v.4, afirmando que Deus quer que todos se salvem – isso não significa que de fato todos serão salvos, como afirma o Universalismo (acredita que ao final serão salvos). Pois é necessário que o homem reconheça e creia no Senhor Jesus como Salvador e Senhor da sua vida (Jo 1.12; 3.16; At 16.31).

- Há ainda uma necessidade premente de a humanidade chegar ao conhecimento dessa verdade, trata-se da verdade salvadora que é o Senhor Jesus (Jo 14.6), que tem a capacidade exclusiva de ser o Caminho para a reconciliação do homem com Deus (1 Tm 2.5; Hb 10.20).

- Há ainda uma mensagem poderosa no v.4, a saber, “quando oramos por todos os homens, estamos exercitando o amor ao próximo juntamente com Cristo Jesus”, pois o Senhor Jesus morreu em lugar de toda raça (Jo 3.16), ou seja, Ele se tornou a porta (Jo 10.7) exclusiva se salvação, a qual não deve ser negligenciada (Hb 2.3).

2. Um árduo trabalho missionário.
- Paulo e seus companheiros de ministério trabalharam arduamente na obra de evangelização (1Ts 2.9).

- Paulo instrui a Timóteo no tocante a defesa da fé (1 Tm 4.16; Tt 1.9), além da edificação da igreja local, pois é visto nesta carta vários aconselhamentos pastorais, os quais são necessários para manter o rebanho.

- Dentre esses cuidados está a pregação e ensino da Palavra a tempo e fora de tempo (2 Tm 4.2).

- O cristianismo uma vez aceito, exige por si só, que os seus seguidores sejam pessoas dinâmicas, produtivas (Mc 16.15), foi para isso que fomos chamados – para dar frutos, para sermos pessoas anunciadoras do Reino de Deus.

“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça [...]” Jo 15.16

3. A melhor recompensa.
- O ministério pastoral exige sacrifício e esforço, mas também é muito gratificante poder servir ao Senhor e ver o fruto do trabalho: ao observar as almas se rendendo aos pés de Cristo, sendo batizadas nas águas e no Espírito Santo. É na verdade, a coroação do trabalho realizado (1Pe 5.2-4).

- Essa argumentação se aplica aos verdadeiros obreiros do Senhor Jesus e não àqueles que apascentam a si mesmo e que arrancam a lã e a gordura das ovelhas (Ez 34.2).

III. A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES
1. As mulheres na Casa de Deus.

- Paulo orienta Timóteo quanto à maneira correta de as mulheres se comportarem na igreja.

- A mulher cristã precisa ser reconhecida não somente por sua maneira de vestir, mas por suas atitudes.

- Não podemos nos esquecer que nosso corpo é “templo do Espírito Santo” (1 Co 3.16) e que devemos glorificar a Deus em toda a nossa maneira de viver (1 Pe 1.15).


2. Traje honesto, com pudor.
A maneira de vestir e de se adornar das mulheres
- Paulo utiliza três qualidades que devem conter nas veste das mulheres.

Atavio. Adorno, enfeite.

...traje honesto. Correto, honroso. Isso implica em trajes adequados, trazendo a ideia “sem escândalos, ou seja, que não exponha partes sensuais do corpo”.
   
...com pudor. Vergonha. Isso implica que as vestes da mulher devem transmitir o seu caráter, sua veste deve está alinhada com o seu sentimento “puro ou impuro” (Fp 4.8). Assim entendemos que as vestes podem transmitir as motivações sensuais da mulher. Podendo utilizar uma roupa para mostrar sua sensualidade ou se vestir com pudor, de modo digno e respeitoso.

- Através dos ensinos de Paulo vimos que o pecado não habita no estilo de roupa e sim na motivação de sua utilização, pois a roupa pode estar decente ou indecente, vigiemos, pois. 

- Uma calça pode estar mais decente no corpo de uma mulher do que uma longa saia, ou vice-versa.

- Logo. As mulheres na qualidade de servas do Senhor devem evitar a utilização de trajes sensuais, pois todos nós devemos nos portar de modo digno dentro e foram da igreja, lembrando que a luz de Cristo deve brilhar em nós de maneira tal, que as possas incrédulas glorifiquem a Deus por nós (Mt 5.16). 


3. Traje com modéstia.
Modéstia. Simplicidade, sem orgulho ou vaidade.  Além de se vestir de maneira honesta e com pudor (recato), a mulher cristã precisa se vestir com modéstia. 

- A ideia transmitida por “honesta e pudor” está ligada ao caráter das mulheres como servas de Deus. Já a modéstia, está ligada a simplicidade, sem vaidade, sem ostentação de beleza  exterior. Que para Paulo, os adornos e as vestes, não tem necessidade de serem dispendiosos, pois o mais importante é a beleza interior (v.10; 1 Pe 3.3-4).

- Entretanto, não significa que as mulheres não possam usar joias ou roupas caríssimas, dependo do seu poder aquisitivo, desde que esteja de acordo com a Palavra de Deus, podendo falar como Davi “... e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome” Sl 103.1.

IV. A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA
1. O silêncio no culto.

“A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição” (1Tm 2.11). Paulo também faz uma recomendação semelhante a esta em 1 Coríntios 14.34,35.

- Isso não significa que as mulheres eram desprezadas, muito pelo contrário, Paulo cita várias mulheres que trabalhavam na obra de Deus o ajudando de várias maneiras (Rm 16.3-16; Fp 4.2.-3).

Silêncio. Gr. hesychia. Usada apenas quatro vezes no NT e indica uma atitude receptiva. Não significa sujeição das capacidades intelectuais de uma mulher. Também não deve ser interpretado como implicando que uma mulher não poderia fazer comentários durante as reuniões da igreja, pois em (1Co 11.5) Paulo orienta, “Toda mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta [...]”, assim vemos a participação da mulher nos cultos.

2. As mulheres no Novo Testamento.
- Cristo, em seu ministério terreno, teve a cooperação de diversas mulheres que atuavam ao seu lado.
- Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios;
- Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes;
- Suzana, e muitas outras que o serviam com suas fazendas (Lc 8.1-3).

- Paulo muito valorizou o trabalho das mulheres, na igreja (Rm 16.1-15).

3. A liderança do homem.
- Paulo aborda a questão da liderança masculina, citando a ordem da criação. É importante ressaltar que o próprio Paulo, ao escrever aos gálatas, ensina que perante Cristo, para a salvação, homens e mulheres são iguais (Gl 3.28).

- Por que Paulo se utiliza do exemplo de Adão e Eva? Ele utiliza tal ilustração para mostrar o que estava acontecendo na igreja de Éfeso. Assim como Eva foi seduzida e enganada pela serpente, as irmãs daquela igreja estavam se deixando seduzir pelos ensinos dos falsos mestres.

CONCLUSÃO
Quanto à oração, os ensinos paulinos são válidos para todos os crentes, em qualquer época e em qualquer lugar. Devemos fazer súplicas, intercessões e ações de graças diante de Deus. No que concerne ao comportamento cristão, Paulo deu um destaque incisivo quanto à postura das mulheres, especialmente às irmãs de Éfeso, tendo em vista o contexto liberal e lascivo da sociedade em que a igreja estava inserida.



Alan Fabiano


Fonte 
Bíblia de Estudo Apologética com Apócrifos, Edição Ampliada - ARC, 1 ed., Rio de Janeiro: ICP, 2014.
Bíblia de Estudo - SHEDD - ARA, 2 ed. Barueri, SP: Vida Nova, 1997. 
Novo Testamento - King James, Edição de Estudo - KJA, 1 ed. São Paulo: Abba Press, 2007. 
BOYER, Orlando. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7 ed., São Paulo: Vida, 2000.
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD,2000.
FRIBERG, Barbara; FRIBERG, Timothy. Novo Testamento Grego Analítico. 1 ed. São Paulo: Vida Nova, 2007.
GINGRICH, Wilbur F.; DANKER, W. Frederick. Léxico do Novo Testamento. 1 ed. São Paulo: Vida Nova, 2008. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.