Páginas

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Lição 2: O Evangelho da Graça

Lição 2: O Evangelho da Graça

TEXTO ÁUREO
“[...] contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus” (At 20.24).

Texto base
1 Timóteo 1.3-10.

3 — Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns que não ensinem outra doutrina,
4 — nem se deem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora.
5 — Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.
6 — Do que desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas,
7 — querendo ser doutores da lei e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.
8 — Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente,
9 — sabendo isto: que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas,
10 — para os fornicadores, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros e para o que for contrário à sã doutrina.

OBJETIVOS
I. Mostrar porque as falsas doutrinas corrompem o evangelho da graça.
II. Conscientizar-se de que a graça superabundou com a fé e o amor.
III. Compreender o significado do bom combate.

INTRODUÇÃO
- Paulo sabendo de antemão pelo Espírito Santo sobre os perigos que estavam para assolar a igreja do Senhor, ao se despedir dos presbíteros, os orienta sobre tais perigos, em especial, os falsos mestres (At 20.29,30), enfatiza ainda que eles deveriam vigiar e não se esquecerem dos seus conselhos (v.31).

- Sem dúvida, foi um sentimento dado pelo Senhor, pois sete anos depois, Paulo estava deixando Timóteo em Éfeso, para combater os “lobos cruéis”, que queriam “devorar” o rebanho sob seus cuidados pastorais. Nos dias de hoje, há igrejas que abrigam falsos obreiros, que pervertem a sã doutrina matando ou dispersando as ovelhas.

I. AS FALSAS DOUTRINAS CORROMPEM O EVANGELHO DA GRAÇA

1. O evangelho da graça.
- É o Evangelho que fora profetizado pelo profeta Isaías (61.1), e apresentado aos homens através da Pessoa do Senhor Jesus. Este Evangelho tem o objetivo de alcançar o homem completamente, trazendo respostas às suas indagações (Lc 7.22).

- O Evangelho é obra exclusiva da benevolência de Deus para com a raça humana caída, portanto flui diretamente do trono de Deus (Ef 2.8,9; Tg 1.17; Rm 6.23).

- O efeito transformador deste Evangelho é realizado pelo Espírito Santo (Jo 16.8), mediante concessão do homem (Ap 3.20), tendo em vista que este pode endurecer o seu coração, impedindo a ação do Espírito (Hb 3.8,15).

2. As falsas doutrinas (v.3).
- Ensinadas pelos falsos mestres que possivelmente bebiam das fontes do gnosticismo e judaísmo, estes tinham a aparência de piedade (II Tm 3.5), no entanto, eram lobos devoradores (At 20.29). Tinha também os falsos mestres que surgiam de dentro dos cristãos (v.30).

- As falsas doutrinas se caracterizavam por: a) ensinar falsas doutrinas e inverdades (6.3); b) pregar mitos judaicos (Tt 1.14); arrogar-se como mestres da Lei (v.7); c) ensinar práticas ascéticas (4.3); d) fazer uso da posição para obter lucros pessoais ilícitos (6.5); e) pregar histórias mentirosas sobre a origem do povo judeu (4.7; Tt 3.9); f) orgulho e arrogância (1.7; 6.4); g) promover polêmicas com finalidades escusas (6.4; 2Tm 2.23; Tt 3.9); h) incluindo o gnosticismo e o “judaísmo cristianizado”.

3. O “fim do mandamento” e a finalidade da Lei.
- Paulo chamou a atenção de Timóteo, seu enviado a Éfeso, para a doutrina de Deus e de Cristo, a que ele resumiu no “mandamento”, e sua finalidade (1Tm 1.5,6).

- Em seguida, Paulo ensina acerca do objetivo da Lei, e para quem ela se destinava, discriminando, no texto, uma longa lista de tipos de pessoas ímpias que eram alvo dos preceitos legais (1Tm 1.9-11).

II. A GRAÇA SUPERABUNDOU COM A FÉ E O AMOR
1. Gratidão a Deus.
- Uma das características marcantes do caráter de Paulo é o ser grato a Deus (Rm 7.25; 1Co 1.4; 14.18; 2Tm 1.3).

- Nesta parte da Epístola, ele expressa sua gratidão a Cristo por tê-lo escolhido e posto no ministério apostólico e pastoral, apesar de ter sido um terrível opositor do Evangelho de Jesus (1Tm 1.12,13).

- Paulo é um dos maiores exemplos de pessoa citadas na Bíblia que tiveram suas vidas transformadas pelo pode do Senhor Jesus, seu encontro com o Senhor é narrado por Lucas em Atos 9.

- Essa gratidão possivelmente seja pelo fato do apóstolo Paulo ter experimentado um novo nascimento em Cristo Jesus (Jo 3.7; At 9), se tornado uma nova criatura (2 Co 5.17), sendo inserido assim na família de Deus (Ef 2.19). Paulo muito se alegra pelo fato de saber que sobre si foi derramado abundante graça (1 Tm 1.14).

- O Senhor Jesus continua salvando e transformando homens e mulheres, resgatando do mundo das trevas (Cl 1.13), porque Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Hb 13.8). Aleluia!.

2. Humildade.
- Se fôssemos falar da humildade, com mais detalhes, com certeza o estudo ficaria exaustivo. Mas de uma forma bem resumida e prática, a humildade é um sinal que deve seguir a vida de toda pessoa que professa a Jesus Cristo como Senhor e Salvador (Mt 11.29).

- A Palavra de Deus é clara sobre o assunto. Deus abate os soberbos e arrogantes, mas dar graça aos humildes (Tg 4.6).

- João Batista nos dar uma lição profunda e prática: É necessário que ele cresça e que eu diminua. (Jo 3.30).

- Infelizmente o Evangelho da Graça tem sido vilipendiado por homens gananciosos que não aprenderam a humildade que o seu Mestre ensinou.

III. UM CONVITE A COMBATER O BOM COMBATE (vv.18-20)

1. A boa milícia.
- Depois de orientar Timóteo sobre a difícil missão de combater as heresias, na igreja de Éfeso, Paulo dá uma palavra de ânimo, encorajamento e incentivo ao jovem pastor. Como um verdadeiro “pai na fé”, o apóstolo diz: “Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia” (1Tm 1.18).

- Paulo lembra a Timóteo que seu ministério estava firmado sobre alicerces proféticos. Logo, o dono da Igreja estava confirmando o seu ministério, devendo Timóteo tão somente manter a fé e a boa consciência (v.19), fazendo assim estaria combatendo o bom combate.

2. A rejeição da fé e suas consequências (1Tm 1.5).
- Quem rejeita “a fé não fingida” e a “boa consciência” cristã colhe os resultados de sua má escolha. O resultado é o “naufrágio na fé”. Paulo toma como exemplo Himeneu e Alexandre, obreiros que entraram por esse caminho.

- Quanto a Himeneu, sua postura é tão terrível que ele é citado em 2 Timóteo 2.17. Seu nome deriva de Himen, “deus do casamento”, na mitologia grega. Não se sabe ao certo qual “doutrina” falsa ele semeava. Estudiosos dizem que ambos eram representantes do gnosticismo no meio da igreja de Éfeso.

- Com relação a Alexandre, aliado de Himeneu na semeadura das falsas doutrinas, era tão pernicioso, que Paulo o considera desviado ou “naufragado” na fé. Sua influência era tão maliciosa que Paulo os entregou “a Satanás, para que aprendam a não blasfemar” (1Tm 1.20). Que o Senhor livre sua Igreja dos falsos mestres.

CONCLUSÃO

O cristianismo nasceu debaixo de perseguição e confronto com heresias e ensinos desvirtuados. Na consolidação de igrejas abertas em suas viagens missionárias, Paulo teve que oferecer resistência e ação decidida contra os “lobos vorazes”, que haveriam de surgir, até mesmo no seio das igrejas, como no caso da igreja de Éfeso. Com a graça de Deus e o apoio de homens fiéis, como Timóteo e Tito, o apóstolo Paulo fez frente aos falsos mestres que se levantaram para prejudicar o trabalho iniciado e desenvolvido em muitas igrejas cristãs.


Alan Fabiano




Fonte
Comentário Novo Testamento King James.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.