Páginas

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Lição 11: O Homem vestido de linho

Lição 11: O Homem vestido de linho

Data: 14 de Dezembro de 2014

Texto base: 
Daniel 10.1-6,9,10,14.

1 - No ano terceiro de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome se chama Beltessazar; e a palavra é verdadeira e trata de uma guerra prolongada; e ele entendeu essa palavra e teve entendimento da visão.
2 - Naqueles dias, eu, Daniel, estive triste por três semanas completas.
3 - Manjar desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com unguento, até que se cumpriram as três semanas.
4 - E, no dia vinte e quatro do primeiro mês, eu estava à borda do grande rio Hidéquel;
5 - e levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ouro fino de Ufaz.
6 - E o seu corpo era como turquesa, e o seu rosto parecia um relâmpago, e os seus olhos, como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés, como cor de bronze açacalado; e a voz das suas palavras, como a voz de uma multidão.
9 - Contudo, ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo a voz das suas palavras, eu caí com o meu rosto em terra, profundamente adormecido.
10 - E eis que uma mão me tocou e fez que me movesse sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos.
14 - Agora, vim para fazer-te entender o que há de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a visão é ainda para muitos dias.

OBJETIVOS
Discorrer sobre a visão celestial de Daniel.
Explicar o significado do homem vestido de linho.
Saber que os anjos de Deus são seres espirituais ajudadores.

INTRODUÇÃO 
Palavra Chave: Visão. Concepção ou representação, em espírito, de situações, questões, etc. Interpretação.

- Vimos no cap. 9, que no primeiro ano do rei Dario (539 a.C), Daniel (87) recebe uma visão da parte de Deus através do anjo Gabriel (9.21). No cap 10, cerca de 4 anos depois recebe outra visão da parte de Deus, agora com a idade de +/- 91 anos (Jl 2.28). 
- Apesar da idade avançada Daniel não desiste do seu povo, e faz mais um grande propósito diante de Deus. 
- Estudaremos sobre a última visão do profeta Daniel a respeito dos acontecimentos escatológicos e destinados ao povo de Israel (10.14). 

I. UMA VISÃO CELESTIAL (Dn 10.1-3) 
1. “Foi revelada uma palavra a Daniel”. 
- Estamos no inicio da visão que Daniel recebera de Deus. A frase em destaque confirma a veracidade da visão e as próprias Escrituras, conforme diz Amós 3.7, Aleluia!

- Daniel estava naquele momento, como profeta para o povo e de intercessor do povo para Deus, era ele quem “pagava o preço” se humilhava, clamava, jejuava, era consagrado a Deus, dedicado, se vestia de pano de saco, como sinal de máxima humilhação e dependência de Deus. 

- Em face dessas atitudes, recebe as benevolências do Criador, inclusive de ouvir “és mui amado” (9.23;10.19). 

Aplicação
- É necessário e urgente nos quebrantar na presença de Deus, depender mais dEle, a fim de conhecermos os seus mistérios (Jr 33.3).  

2. Daniel um homem de oração. 
- Da mesma forma que em ocasiões anteriores, vemos Daniel orando a Deus com adoração, fé, humilhação, jejum, confiança nas promessas de Deus e com propósitos firmes (10.2). 

- Mesmo durante a adversidade espiritual, moral e social sofrida pelo povo de Israel, Daniel continua perseverando, clamando, orando e jejuando em favor do seu povo, com o objetivo de receber a misericórdia de Deus e a restauração da Cidade santa (9.1619). 

- Diante de tamanho quebrantamento, Deus revela a Daniel acontecimentos futuros para o seu povo (10.14; Jr 33.3), além de mostrar que em um determinado tempo o seu povo será completa e eternamente restaurado (9.24). 

- Daniel nos mostra um modelo de oração eficaz. Contudo, o Senhor Jesus nos deixou os mais excelentes exemplos de oração e adoração ao nosso Pai celeste.

3. A tristeza de Daniel.
 “Estive triste por três semanas completas” (10.2). Esta tradução é da Bíblia (ARC), já na Bíblia (ARA), trás “pranteei durante três semanas”. O texto é claro, Daniel pranteia por três semanas (vinte e um dias) após receber da parte de Deus, a revelação de uma palavra verdadeira que envolvia grande conflito. 

- Talvez Daniel tenha pranteado a fim de saber o tempo em que tal conflito irai se cumprir sobre o povo de Israel, após vinte e um dias, ele é consolado (10.14). 

II. A VISÃO DO HOMEM VESTIDO DE LINHO (Dn 10.4,5) 
1. Um “homem vestido de linho”. 
- A visão de Daniel. Se assemelha a de João na ilha de Patmos (Ap 1.12-20) e com a do profeta Ezequiel (Ez 1.26). 

- Da mesma forma que João, Daniel desfaleceu diante da glória do homem vestido de linho. (Dn 10.8; Ap 1.17). 

- Homem algum pode permanecer diante da glória total do Senhor. Por este motivo, o Espírito Santo nos ensina, que o Senhor Jesus se despiu da sua glória (Fp 2.7), prestes à sua morte o Senhor Jesus ora ao Pai pedindo a glória que possuía desde a fundação do mundo (Jo 17.5). Logo, a descrição de Daniel e Ezequiel pode ser que se trate do próprio Senhor Jesus.  

2. “Eis que uma mão me tocou”.
- Uma mão. A consolação divina não é só para nossa alegria, mas também para nos reforçar em nossa vocação.  

- Os anjos são seres celestiais, reais, enviados por Deus para servir os salvos em Cristo Jesus (Hb 1.14). 

- Daniel menciona o anjo, Gabriel, que ajudou a Daniel a compreender as revelações divinas (Dn 9.21-27) e o arcanjo Miguel, protetor de Israel (Dn 12.1). 

- Na Bíblia os anjos também foram utilizados como agentes na execução do julgamento divino (Gn 19.1).

- No Antigo Testamento, uma das atribuições dos anjos era guardar o povo de Deus (2Rs 6.17). 

3. “O príncipe do reino da Pérsia”. 
- O príncipe do reino da Pérsia. O poder satânico manifesto através do culto pagão dos persas. Paulo nos ensina que quem adora a ídolos está servindo aos demônios, 1Co 10.20.  

- Precisamos de discernimento em relação aos anjos, pois a Palavra de Deus afirma que o próprio Satanás pode disfarçar-se em anjo de luz (2Co 11.14).

III. DANIEL É CONFORTADO POR UM ANJO (Dn 10.10-12) 
1. Daniel é confortado por um anjo (10.10-12). 
Diante da visão o profeta perdeu as suas forças. Porém, o Senhor envia um anjo para tocar Daniel e restaurar as suas forças físicas. A mão do anjo tocou o profeta e o ergueu. Observe que Daniel, “o homem mui desejado,” ficou como morto e depois de joelhos diante do Senhor. No grande dia, como ficarão aqueles que rejeitam e desprezam o Filho de Deus?

2. O conflito entre o Arcanjo Miguel e o príncipe do reino da Pérsia (10.13). 
No capítulo dez do livro de Daniel, dois príncipes das milícias satânicas são identificados: “o príncipe do reino da Pérsia” (v.13) e o “príncipe da Grécia” (v.20). Estes príncipes não eram homens comuns, mas anjos satânicos. Estes anjos caídos só foram derrotados depois que Deus enviou Miguel, o príncipe de Israel (v.21). O anjo que falava com o profeta explicou que o príncipe da Pérsia estava impedindo que a mensagem de Deus fosse entregue. O propósito de Satanás era impedir que Daniel recebesse a revelação do Senhor.

3. A hostilidade espiritual contra o povo de Deus. 
O Inimigo tenta de todas as formas destruir Israel, todavia o Senhor tem uma aliança eterna com o seu povo. Satanás não pode impedir a bênção de Deus para Israel. O Inimigo também tenta de todas as formas destruir a Igreja de Cristo. Ele se opõe a Igreja assim como o rei da Pérsia se opôs a Daniel e ao anjo do Senhor.
Há resistência espiritual às nossas orações e a nós. Quando oramos entramos em batalha contra as potestades do mal (Ef 6.12). Israel tem o seu ajudador, o arcanjo Miguel. A Igreja é guardada pelo próprio Senhor Jesus Cristo, aquele que venceu as forças do Inimigo ao morrer e ressuscitar ao terceiro dia.

CONCLUSÃO 

Duas vezes o anjo de Deus tocou em Daniel para que ele pudesse recobrar as suas forças físicas. O toque de Deus nos anima e nos fortalece para que possamos, como Daniel, servir ao Senhor com temor e amor.


Referência
Bíblia de Estudo - SHEDD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.