Páginas

sexta-feira, 13 de abril de 2012

ÉFESO, A IGREJA DO AMOR ESQUECIDO

ÉFESO, A IGREJA DO AMOR ESQUECIDO
OBJETIVOS
Identificar a singularidade da igreja de Éfeso.
Compreender seu grave problema.
Conscientizar-se que devemos voltar ao primeiro amor.


INTRODUÇÃO
Palavra Chave
Amor: Intenso afeto por outra pessoa; devoção e dedicação.


Nesta aula estudaremos sobre a igreja de Éfeso. Localizada na Ásia Menor, era uma igreja dinâmica, primava pelo ensino correto das Escrituras, demonstrava ter um excelente conhecimento teológico, o que lhe capacitava a defender a sã doutrina (Ap 2.2). O Senhor Jesus reconhece a sua perseverança, seu labor e suas obras (2.2). Era referência naquela região.
Mas, lhe faltou entusiasmo para com o seu Senhor e irmãos, conforme nos orienta Paulo em 1 Co 13.


Esta aula de hoje nos apresenta uma interessante história nas entrelinhas das Escrituras Sagrada.

I. ÉFESO, UMA IGREJA SINGULAR
1. Paulo em Éfeso.

Éfeso, metrópole da Ásia Pro consular, na província de Lídia, perto da desembocadura do Caíster (hoje Baiindir), entre Mileto para o Sul e Esmirna no Norte. Era o maior centro comercial, político da Ásia menor, navios de várias partes do mundo faziam escalas em seu amplo porto. Seu grandioso templo consagrado a deusa romana, Diana (em grego, Ártemis), seu teatro e hipódromo eram conhecidos em toda Ásia.
O Evangelho chegou a Éfeso, conforme descrito (At 18.19), Paulo despediu-se de Áquila e Priscila, e rumou para uma viagem de vários meses à uma distância de uns 2.500 Km até Jerusalém, ida e volta. Áquila e Priscila realizaram um grande trabalho de evangelização onde permaneceram até o ano de 55 d.C, estavam em Roma no inicio de 57 d.C., quando Paulo escreveu sua carta aos Romanos.

Paulo retorna a Éfeso, onde permanece por três anos (At. 20.31), época em que fundara algumas das sete igrejas da Ásia (At 19).

2. A solidez doutrinária de Éfeso.
Paulo retornou a Éfeso (19.1), freqüentou a Sinagoga por três meses, onde pregava com ousadia (19.8). Paulo separa os discípulos (v.9), surge então uma "igreja local" em um ambiente separado da Sinagoga que abrigou os crentes cerca de um ano (18.19).
Escola de Tirano. Tirano era um filósofo grego que havia fundado uma escola para oferecer ao publico suas preleções. Um antigo manuscrito grego, conhecido como "código D" dá conta de que as aulas de Paulo eram das 11 às 16 horas, diariamente, talvez explique a profundidade Teológica quando escreve a Epístola aos Efésios.

O objetivo de do ensino de Paulo era preparar os discípulos para o evangelismo e pastorado, recebendo assim uma excelente base Teológica. As igrejas de Colossos, Hierápolis e Laodicéia, fundadas por Epafras, discípulo e conservo do apóstolo. Foram uma parte do fruto desse trabalho, que iniciou com Apolo, Áquila e Priscila. 
Podemos deduzir que a Igreja de Éfeso tinha uma solidez doutrinária, admirável, se considerarmos o poder do Espírito Santo aliado intimamente à Teologia Bíblica que paulatinamente ia sendo revelada ao Apóstolo Paulo, que por sua vez repassava aos irmãos, entendo que nesse contexto a fé e a razão andavam juntas, uma vez que Paulo era um profundo conhecedor da Filosofia grega, que era incapaz de apresentar ao homem uma revelação capaz de iluminar a sua consciência, iluminação esta encontrada só e somente só em Cristo Jesus.

3. Uma igreja de ministros excelentes.
A Igreja de Éfeso teve grandes homens de Deus em sua direção, como podemos ver, o seu inicio se deu por pessoas sérias e compromissadas com o Reino de Deus. Consta que os homens que por lá passaram, foram pessoas dignas de serem lembradas no CANON Sagrado, vimos então que se trata de pessoas, de fato comprometida com o Reino de Deus.
Podemos deduzir que não foi por falta de compromisso de seus lideres pioneiros, que a igreja entrou em atrofiamento no amor Ágape. No contexto das narrativas Bíblicas podemos ver uma sobre do legado Teológico deixado pelos pioneiros. Contudo, o amor enfraqueceu.

Esta situação é muito atual, no cristianismo brasileiro.
Nomes dos pastores de Éfeso, segundo narrativa Bíblica e História:
- Apolo, Áquila, Priscila, Paulo, Timótio, Tíquico e João.


II. O PROBLEMA DE ÉFESO
1. Um grave problema.

- A Igreja de Éfeso, havia abandonado o primeiro amor, o amor por Cristo e pela família cristã que tinham no início da vida cristã; o amor original, verdadeiro, puro, alegre e fervoroso, descrito em (1 Co. 13).

Motivos que abandonaram o primeiro amor.
Pelo contexto da igreja, podemos imaginar uma série de fatores, por exemplo, a) A cidade estava em constante crescimento, e isso melhora a condição financeira dos irmãos, podendo conduzi-los ao materialismo ou ao egoísmo; b) A tentação era intensa, haja vista que havia um templo para se praticar a prostituição à vontade, isso poderia atrapalhar o fervor espiritual de alguns irmãos; c) Havia na entre eles homens que se diziam apóstolos e não o era verdadeiramente, o que poderia escandalizar, entristecer ou decepcionar alguns irmãos.


Pontos Positivos: a) Era uma igreja perseverante; b) Primava pela ortodoxia teológica; c) Punha à prova os homens iminentes e suas profecias; d) Era uma igreja dinâmica; e) Igreja que suportava provas e perseguições por causa do nome de Cristo, uma vez que muitos se convertiam de deixavam de dar lucros ao templo de Artemis.

Ponto negativo:
Em face da narrativa supra, podemos deduzir que a igreja de Éfeso deixou de ser espiritual, passando a ser uma igreja mecânica e religiosa, não estavam apresentando a Deus um culto com a alma e sim um culto aparente, onde o fervor do Espírito apagou-se no coração dos irmãos.


"É como os nossos dias, muitas vezes fazemos algo para Deus por fazer, ou pra alguém vê, e não com o verdadeiro amor que Cristo requer de nós".

- Temos o exemplo do culto mecânico e aparente oferecido pelos Israelitas, e a sua trajetória (Jr 2.1-13) espiritual.
- Devemos fazer uma análise introspectiva e verificar as nossas atitudes, palavras e intenções que fluem do nosso coração, e verificar se estão alinhadas com o amor Ágape.

2. O primeiro amor. - Quem vive este primeiro amor é a novidade de vida gerada pelo novo nascimento, onde o homem tem sua vida espiritual regenerada, e recebe o amor Ágape, que só é concedido a quem aceita Cristo como Salvador se Senhor de sua vida.

- Esse amor é a força motriz que o cristão recebe ao descobrir o poder e a realidade do Espírito Santo, daí então ele (convertido) deseja só o Reino de Deus, quer ganhar almas, ir a todos os cultos, evita confusões, vivenciam o fruto do Espírito.

- O Primeiro amor é sentir o mover do Espírito Santo dentro de nós, momento em que espiritualmente sentimos uma fluidez na nossa comunicação direta com Deus.
- Portanto, Teologia, mestrado, doutorado, fama, cargos importantes, ser pastor de grandes igrejas, ter muitos bens, ser uma pessoa extremamente carismática, não é símbolo do PRIMEIRO AMOR.

- PRIMEIRO AMOR tem as características de 1 Co. 13.

3. Amnésia do amor. - Apesar de a igreja de Éfeso ser tão estruturada de conhecimento teológico e quem sabe até um grande número de membro, uma vez que houve em seu nascedouro muitas conversões, em razão do poder do Espírito Santo. Havia esta igreja, esquecido do seu primeiro encontro com Deus.

- Para refletir sobre este tema, não precisamos de nenhum conhecimento teológico, basta ser verdadeiros discípulos de Cristo.
- Sabemos que, se deixarmos de praticar a oração, leitura da Palavra, o jejum, consagração, adoração e freqüência nos cultos, logo vamos esfriando, aí bate a vontade de ficar em casa, vem também o desânimo, temos também as redes sociais, e outras coisas que podem sim tirar a atenção do homem/mulher de Deus das coisas espirituais.

- O próximo passo é perder a admiração e a vontade de ler a Palavra, daí por diante sentimos que Deus não nos escuta mais, sendo necessários muitos minutos de oração para sermos renovados e relembrarmos o primeiro amor.

- Portanto, está mais que provado que o primeiro amor pode ser esquecido.
- Mas, que não seja esquecido nem por mim nem por você, em nome de Jesus.


III. VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR
- Este retorno deve ser imediato, não podemos viver sem a presença do Espírito Santo, pois, sua presença é a razão da nossa PAZ.
1. Rica em obras, pobre em amor.
- Podemos ler o "rai x" da igreja de Éfeso:
- Sua natureza:
1. Enérgica em: a) obras, b) esforço, c) paciência;
2. Ortodoxa: a) provou os lideres, b) odiou sua doutrina.
Contudo,
3. Fria:
a) faltou o entusiasmo paro com o seu Senhor, b) faltou o amor para com os irmãos.

- Temos hoje muitos templos suntuosos, mas, vazios do amor de Deus, iniciando nos púlpitos até à porta de entrada.
- Temos que reler algumas vezes 1 Co. 13.

2. Amar é a mais elevada das obras.
- Para este sub ponto, não há argumento melhor do que este. 1 Co. 13.
1. AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria. 3 E, ainda que distribuísse toda a minha fortuna, para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria. 4 A caridade é sofredora; é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não trata com leviandade; não se ensoberbece; 5 Não se porta com indecência; não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 A caridade nunca falha, mas, havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9 Porque em parte conhecemos, e em parte profetizamos; 10 Mas, quando vier o que é perfeito, então, o que é em parte será aniquilado. 11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 12 Porque, agora, vemos por espelho, em enigma, mas, então, veremos face a face; agora conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido. 13. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade, estas três; mas a maior destas é a caridade.


IV. LEMBRANDO SE DO PRIMEIRO AMOR
- Vemos agora o caminho proposto pelo Senhor Jesus, qual seja:
1) Lembrar-se, 2) Arrepender-se e 3) Voltar (que são os três passos da conversão) Ap. 2.5.

1. Lembrar-se de onde caiu.
... De onde. Trata-se de um lugar ou status espiritual, não se trata de um lugar físico, ou de uma posição na sociedade; caíram de um lugar aonde desfrutavam do poder e da unção de Deus, ou seja, é perder a intimidade com Deus.

- Quando isso acontece, o caminho a ser feito de forma imediata e indispensável é LEMBRAR-SE => ARREPENDER-SE E VOLTAR. Ex. Sl. 51

- Se voltarmos de forma nenhuma Ele nos rejeitará (Jo. 6.37).
- É certo que estamos sujeitos a de fato a cair de uma excelente posição espiritual. Contudo, devemos está em constante vigilância (1 Pe. 5.8; Ap. 3.11).
2. Voltar à prática das primeiras obras.
- Vimos no início do ponto três que há três passos, sendo o VOLTAR o ultimo deles, portanto antes desse ultimo passo, é necessário ARREPENDER-SE. Foi a orientação dada à Igreja de Éfeso.
Arrepender-se, quer dizer mudança de mente, ou seja, era necessário haver uma mudança da forma de pensar e de agir.

- Um arrependimento verdadeiro gera frutos de arrependimento, quais são, deixar de praticar as obras do velho homem e passar a andar em novidade de vida em Cristo Jesus, assim estaremos esperando a sua vinda a qualquer momento.
- Voltar à prática das primeiras obras é resultado de um verdadeiro arrependimento.
3. Amar a vinda de Cristo.
Assim como o Cristo ama a Noiva e suspira por sua chegada aos céus, também devemos nós, como o seu corpo místico, almejar por sua vinda: “Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” (2 Tm 4.8). Você realmente ama a vinda de Cristo? Em breve Ele voltará. Amém. Ora vem Senhor Jesus!

CONCLUSÃO
Aprendemos muito com a igreja de Éfeso, pois nos mostra a trajetória espiritual de uma igreja, ou mesmo de um crente em Cristo Jesus. Vimos o seu nascedouro, seus ensinamentos, sua trejatória marcada por boas obras, mas, em determinado momento dessa trajetória, se vê em uma crise espiritual terrivel, quem sabe por influências externas, ou descuido dos lideres. Contudo, o nosso Deus por misericódia oferece uma oportunidade para arrependimento e restauração. Renove-se em Cristo Jesus, nesse momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.