Páginas

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A PROSPERIDADE NO ANTIGO TESTAMENTO

CAROS LEITORES AJUDE A MELHORAR A QUALIDADE DOS COMENTÁRIOS, DEIXE SUA OPINIÃO NO RODA PÉ DOS TEXTOS, Alan Fabiano.  
 
 A PROSPERIDADE NO ANTIGO TESTAMENTO - LIÇÃO 2

OBJETIVOS
Conceituar a prosperidade no Antigo Testamento.
Identificar as fontes da prosperidade no Antigo Pacto.
Compreender os princípios veterotestamentários que dão base para a prosperidade.

 
TEXTO ÁUREO
“Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele e que tudo o que ele fazia o SENHOR prosperava em sua mão” (Gn 39.3).


LEITURA DIÁRIA
Na leitura diária, destacarei duas leituras sugeridas, Dt 8.18 e 1 Sm 2.7, tais leituras é muito interessantes, contudo, devem ser consideradas ligadas entre si, se não vejamos;
Na primeira, Dt 8.18, A prosperidade associada ao trabalho. Entendemos que ninguém consegue prosperar financeiramente se não for detentor de conhecimento para aquilo faz, conhecimento este adquirido através de anos de estudos, ou na falta deste, habilidade, muito esforço e vontade para trabalhar.


Na segunda leitura, 1 Sm 2.7, A prosperidade como resultado do agir soberano de Deus. Vimos as mãos de Deus estendidas, sobre nós, abrindo as portas para que possamos desempenhar nossas habilidades, então ele nos dá saúde, ânimo, estratégias, intrepidez para semearmos quando não há perspectiva de colheita, em fim, é Ele, com a sua Soberania, quem nos faz prosperar e o instrumento são os nossos recursos, como está escrito, “...sem mim nada podereis fazer.” Jo 15.5. É Ele quem nos faz florescer em terra seca, abrindo porta onde não há porta. Aleluia.
 

INTRODUÇÃO
Palavra Chave
Prosperidade: Estado do que é ou se torna próspero; abundância.




- As Escrituras Sagradas nos diz muito sobre a prosperidade do povo de Deus, sendo sua maior ênfase no Antigo Testamento.
- O hebraico possui cerca de vinte e cinco palavras que podem ser traduzidas respectivamente como prosperidade, riquezas e bens.
- O termo hebraico mais comum é tsalach (Gn 39.2; Js 1.8; Sl 1.3) e no grego é euodoo (1 Co 16.2).
- Todavia, a prosperidade no Antigo Pacto está diretamente ligada ao íntimo relacionamento com o Senhor.
- Nesta lição aprenderemos que é possível alguém ser rico, possuir boa saúde e muitos bens e mesmo assim não ser próspero, ter sucesso, mas não uma vida abundante.
- Veremos que a verdadeira prosperidade é o resultado de uma vida com Deus.


I. RIQUEZA E POBREZA; DOENÇA E CURA NA ANTIGA ALIANÇA.
Neste primeiro ponto da aula, veremos a PROSPERIDADE associada a três elementos (solidariedade, espiritualidade e o bem estar físico), os quais são indispensáveis ao ser humano, independente do seu nível cultural ou o seu ciclo social. Logo, para se ter uma prosperidade verdadeira à luz do Antigo Testamento, é ser solidário, estar em comunhão com Deus e experimentar a cura de Deus sobre as enfermidades (conforme a sua vontade).  
1. Prosperidade e solidariedade. 
- Desde os tempos do A.T a riqueza e pobreza andam lado a lado (Rt 2.1,2), isso é algo que sempre vai existir, pois há várias circunstância que levam alguém a ser próspero ou pobre;
- Há duas idéias erradas sobre os conceitos de POBREZA e RIQUEZA. 
- A 1ª idéia - Mostra a riqueza como dádiva de Deus, e a pobreza como marca do julgamento divino. Essa idea deve ser refultada, pois Deus não faz acepção de pessoas, o certo é que Deus abençoa a todos que se dedicam ao trabalho e se esforçam para ter uma vida digna;   
- A 2ª idéia - Associa a riqueza à maldade e a pobreza à piedade. Essa ideia tambem deve ser refultada pois a riqueza está diretamente associada ao trabalho e dedicação das pessoas e, a pobresa assoaciada desde a forma de governo de uma nação (ex: Africa, regiões onde a renda é má distribuida, ou não oferece condições básicas para o estudo e trabalho) à pessoas que "cruzam os braços" e esperam viver dependente de outras;    
- Pobreza não é sinônimo de maldição - e nem Riqueza sinônimo de ser abençoado. A benção da prosperidade apenas no ponto de vista financeiro, esta ligada ao trabalho e dedicação, uma vez que quem veio para matar, roubar e destruir foi Satanás, Deus tem interesse em nos abençoar com bens, desde que seja para sua glória;
- Tanto o pobre como o rico dependem do favor de Deus (1 Sm 2.7,8). Todos dependemos do favor de Deus, riqueza não compra a vida e nem a saúde.

- Mas a ideia principal desse subponto é SOLIDARIEDADE, a Bíblia mostra primeiramente que os mais abastados devem se importar com os menos favorecidos (Dt 15.4,11). 
- A prosperidade só é genuína quando converte-se em solidariedade, ou seja, quando não é egoísta. Quando praticamos a solidariedade, quebramos o EGOÍSMO e o MATERIALISMO, portanto deve ser praticado principalmente para nós cristãos que temos o conhecimento dessa verdade.
2. Prosperidade e espiritualidade. 
- A idéia de prosperidade no A.T, vai além do acúmulo de bens materiais ou o bem estar físico, ou seja, os bens e o bem estar físico, são os resultados de uma vida espiritualmente prospera. (Sl 73). 
- O Antigo Testamento nos revela alguns elementos mais valiosos que os bens materiais, quais sejam: o conhecimento (Pv 3.13; 20.15), a integridade (Sl 7.8; 78.72), a justiça (Sl 15.2; Pv 8.18; 14.34), o entendimento (Pv 15.32; 19.8), a humildade e a paz (Pv 15.33; 18.12; 12.20).

3. Prosperidade e bem-estar físico. 
- O Antigo Testamento apresenta uma variedade de doenças que afligiam o povo (Jó 2.7; Is 38.21). Contudo, Deus sempre foi o Médico do seu povo (Êx 15.26).
- O Deus que sara a ferida é o mesmo que permite o ferimento (Dt 7.15; Jó 5.18)
- O Antigo Testamento revela que Deus tem o domínio e propósito sobre o bem estar físico do homem (Sl 119.67) pois a enfermidade não significa maldição ou abandono por parte de Deus - as vezes Ele nos mostra que além de provedor, é o Deus que nos cura (Jó).


II. A PROSPERIDADE COMO RESULTADO DO TRABALHO E DO FAVOR DE DEUS.

1. O trabalho como propósito divino. 
- No Antigo Pacto, riqueza e trabalho também estão intimamente relacionados. Logo, não se pode falar de prosperidade e riqueza sem o trabalho. 
- Enriquecimento ilícito, ou seja, por meios fraudulentos é crime e é antibíblico. 
- O instrumento usado por Deus para nos fazer prosperar é o nosso trabalho, sendo assim, engana-se quem deseja prosperar financeiramente, sem trabalho digno Dt 8.18. 
- Desde os tempos do Antigo Testamento, a preguiça é condenável Pv 21.25). 
- Portanto, um servo de Deus verdadeiro deve primar pelo seu sustento, dedicar-se ao seu trabalho e empreender nele todas as suas forças, sempre pensado no que nos fala Ec. 9.10; Pv 6.6. 
- Temos os exemplos dos grandes homens de Deus, os quais eram homens dedicados  ao trabalho, inclusive o nosso Mestre Jesus. 


2. A bênção de Deus como favor divino. 
- Desde o Antigo Testamento a prosperidade deve ser vista como um favor divino, mesmo sem merecermos, pois não somos prósperos porque somos "bonzinhos" ou porque somos crentes, na realidade prosperamos porque somos beneficiados com a graça comum, vinda da parte de Deus aos homens, é Ele quem administra essa graça em nossas vidas, dando a cada um conforme o seu querer. 
- Esta graça é derramada sobre todos os homens sem exceção (Mt 5.45), até mesmo como uma resposta moral de Deus aos homens, pois Ele não poderia nos criar e nos abandonar - "como professam algumas seitas", Ele está conosco e provê o nosso sustento.
- O bom servo de Deus O reconhece como Senhor de sua vida, dando graças a Ele pelo seu sustento, sendo fiel a Ele nas ofertas e dízimos, levando uma vida conforme as suas posses e com a benção de Deus, não sendo cobiçosos de vã glórias ou coisas fúteis, desta vida. Esse é um principio que não podemos negligenciar, Deus é a fonte de tudo que necessitamos (Sl 127.1,2).
 
III. PRINCÍPIOS BÍBLICOS PARA A PROSPERIDADE
Neste ultimo ponto da aula, aprenderemos alguns princípios bíblicos, os quais são necessários para se alcançar a prosperidade tão desejada por todos os homens, logicamente podemos agregar outros elementos que também são indispensáveis, contudo, é bom que seja discutido em sala de aula juntamente com os alunos. 


1. Retribuição. 
- A RETRIBUIÇÃO, é um principio infalível para quem deseja prosperidade, nos foi mostrado esta verdade através dos grandes homens de Deus, como por exemplo: Abraão (Gn 14.18-20; 25.11; 30.43). Na realidade o principio da retribuição nada mais é do que a lei da semeadura, "colhemos o que plantamos" portanto lance o seu pão sobre as águas, não tenha medo... no tempo certo você colherá os frutos, Deus sempre nos surpreende. 
- Conforme Dt 28, a OBEDIÊNCIA à voz de Deus é a causa das bênçãos de prosperidade, mas podemos observar no texto, que tais bençãos de estende aos nossos descendentes v.11, por outro lado observamos que a desobediência seria a causa de maldição, contratempos constantes, (desemprego, escassez, os negócios não fluem, doenças, despesas desnecessárias e etc...) na vida de muitas pessoas, contudo, sempre há tempo de voltar arrepender-se e viver novamente as benção de Deus. 
- Não sejamos como os israelitas que viviam diante de Deus como numa roda gigante, ora obedecia e outrora desobedecia, trazendo sobre si a desolação como resposta moral de Deus para suas vidas, aqui encontramos outra verdade, da qual não podemos esquecer, "Deus é justiça" se tudo quanto temos vem dEle. Logo, devemos ser sempre gratos e fieis a Ele, o que não com o povo de Israel (Jz 21.25). 
- Face o que vimos acima, fica uma verdade para nós, a qual deve ser renovada e jamais esquecida, a minha RETRIBUIÇÃO para Deus é a OBEDIÊNCIA à sua Palavra, assim receberei as benção do céu sem medidas, conforme descrito na sua Palavra Santa e Infalível, esta semente não falha. 

2. Soberania divina. 
- Este é outro princípio que não podemos esquecer, a SOBERANIA DIVINA, atributo incomunicável ao homem, ou seja, é exclusivo dEle. Quando o homem perde a compreensão dessa soberania, ele está propenso a "andar sem rumo, sem direção" esquecendo-se que Deus está no controle da situação, busca a prosperidade a qualquer custo, inclusive de forma fraudulenta. Por outro lado, quando o cristão compreende a soberania de Deus, ele entende perfeitamente que só Deus tem o poder de abrir e fechar portas, porque a terra e sua plenitude pertencem a Ele, porque dEle e por Ele e para Ele são todas as coisas. 
- Não se preocupe Deus está no controle, Ele tem uma porta aberta para você. 
- Por ser Deus soberano e dominador do Universo, Ele pode a qualquer momento resolver abençoar alguém, mesmo se esta pessoa estiver em desobediência à sua Palavra, pois o fato de Deus está prosperando alguém, não significa que Ele está satisfeito com o nosso comportamento, mas, exclusivamente pela sua benevolência.
- Pois se assim não fosse, como explicaríamos o fato de que os justos sofrem e os maus prosperam (Sl 73). Apesar de os injustos prosperarem e o justo continuar na "prova" ou na dificuldade financeira, este tem em si o que o injusto não tem, que é a presença gloriosa de Deus e uma esperança viva de uma vida eterna com o Senhor 2 Co 4.17,18. 
- O maior exemplo para nós é o livro de Jó (Jó 4.8), apesar de mostrar uma das faces ou aspectos do relacionamento de Deus com o homem, tal forma de relacionamento pode ser correlacionado com o de 2 Co 12.7. 



CONCLUSÃO
A prosperidade no Antigo Testamento é resultado da bênção do Senhor sobre os empreendimentos do seu povo. Tal prosperidade não se fundamenta em méritos pessoais, mas é uma resposta à obediência que se constrói como resultado de um relacionamento correto com Deus. A prosperidade, portanto, não é meramente circunstancial, nem tampouco pode ser entendida apenas como uma lei de causa e efeito, mas deve levar em conta os atos soberanos do Senhor. 
Portanto, o Antigo Testamento nos ensina que a prosperidade é: 
Resultado das bençãos de Deus sobre o seu povo; 
Resultado da obediência à Palavra de Deus;
Ato soberano de Deus; 
Não se submete a lei de causa e efeito. 


Deus te abençoe e que você seja prospero em tudo, para a glória de Deus. 


Fontes
Lições Bíblicas - 1º Trimestre 2012; 
Bíblia Sagrada - SHEDD.

Um comentário:

  1. A Paz do Senhor, gostei do cometário, está numa linguagem clara e de fácil entendimento. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.