Páginas

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

OS FRUTOS DA OBEDIÊNCIA NA VIDA DE ISRAEL

Os frutos da obediência na vida de Israel - Lição 3
OBJETIVOS
Compreender
que obediência a Deus é a condição indispensável para um viver próspero.
Conscientizar-se de que a desobediência é a causa da maldição.
Citar algumas das conseqüências da obediência na vida do crente.


Palavra Chave:
Obediência: Sujeição voluntária a Deus e às suas leis.
Ilustre sua aula.
http://espadaflamejante.blogspot.com/2012/01/barbeiros-existem-logo-deus-existe.html
http://espadaflamejante.blogspot.com/2010/01/deus-existe.html

INTRODUÇÃO
Nesta lição, veremos que, no Antigo Testamento, há muitas e grandiosas promessas para os israelitas, ao mesmo tempo há muitas advertências para esse mesmo povo. Tais promessas não eram absolutas e sim CONDICIONAIS, ou seja, veremos sempre no texto “se, se o meu povo... se obedecerdes....”, é no Antigo Testamento que conhecemos um Deus que tem prazer em abençoar o seu povo, entretanto, exige uma obediência voluntária. Conforme vimos em Dt. 27 e 28, a vida diária dos israelitas estava intimamente ligada ao seu relacionamento com Deus. Para o seu povo, a igreja, não é diferente, devemos obedecê-Lo voluntariamente, de todo o nosso coração, alma, pensamento e com todas as nossas força, isso é amar a Deus verdadeiramente, Mt. 22.37. 

I. OBEDIÊNCIA, UM FIRME FUNDAMENTO
1. Deus fala e quer ser ouvido.

- Moisés chama a atenção [...]  se “ouvir a voz do Senhor”, .... viver próspero, desde que obedecessem à voz de Deus, (Dt 28.1 - 14). Podemos destacar as bênçãos prometidas: As seis bênçãos de 3-6 têm paralelo nas seis maldições de 16-19. Destaca-se a exposição do texto. As seis bênçãos tratam de: 1) Relações estrangeiras de Israel (7); 2) Relações domésticas (8); 3) Relações espirituais (9,10); 4) Relações domésticas (11,12a); 5) Relações estrangeiras (12b,13). Se Israel fosse fiel, em sua relação com Deus, prosperaria em todos os sentidos, Desfrutaria de abundância na própria pátria e seria bem sucedido em todo encontro militar ou comercial, com outras nações. 
- Isto porque as bênçãos do Senhor são fundamentadas em sua Palavra... aqui é oportuno destacar que trata-se da Palavra já escrita, a Bíblia, e a Palavra que recebemos de Deus através de profecia (verdadeira), pois sua Palavra não falha. Devemos obedecê-la atentamente, pois é na Palavra de Deus que encontramos as saídas da vida, ou seja, as respostas para os nossos anseios e necessidade mais complexas, ela é luz para o nosso caminho e lâmpada para os nossos pés, Sl 119.105, é através dela que sonhamos nossos ideais para vivemos uma vida de bênçãos aqui na terra e por fim, é através dela que temos viva esperança em Cristo Jesus e a certeza de uma vida eterna. Portanto, o homem que obedece à Palavra de Deus, é bem aventurado integralmente, logicamente, isso não significa ausência de lutas ou triunfalismo, todos passamos por lutas, a diferença é que a nossa vitória é certa, pois em Cristo jamais seremos confundidos Rm 9.33.
 
2. A obediência e suas reais motivações. - Em Deuteronômio, observamos que a verdadeira obediência a Deus deve ser motivada por um coração amoroso e grato. Aqui podemos concluir que Deus requeria do povo uma obediência voluntária e não por obrigação, mas com alegria.
- Dentre inúmeras motivações que o povo de Israel tinha para obedecer a Deus, podemos destacar algumas: 1) A grandeza de Deus (10.17-22); 2) As maravilhas por Ele operadas (11.1-7); 3) As bênçãos que desfrutaremos (11.8-17). Para a Igreja, não há motivação maior para obedecê-Lo, do que a Graça que nos foi revelada, Cristo Jesus.

II. DESOBEDIÊNCIA, A CAUSA DA MALDIÇÃO

MALDIÇÕES SEGUNDO DEUTERONÔMIO 28
• Pestilência (v.21);
• Consumo pela ferrugem e destruição das sementeiras (v.22);
• Enfermidades (febre, inflamação, úlceras, tumores, sarna) (vv.22,27);
• Seca (v.24);
• Céus de bronze e terra de ferro (v.23);
• Não poderiam resistir os inimigos (v.25);
• Dispersão do povo de Deus (v.64);
• Redução do povo (v.62).

1. A quebra da aliança.
- A quebra da aliança sempre ocorreu e ocorre por parte do homem, pois Deus não pode negar a Si mesmo, ainda que sejamos infiéis Ele permanece Fiel, 2 Tm 2.13, se Ele prometeu vai cumprir!.
- Em Deuteronômio 27.15-26 e 28.16-19, a maldição aparece como resultado da desobediência, ocasionando a quebra da aliança divina. Observa-se que, assim como a bênção está associada à obediência a Deus, da mesma forma a maldição vem associada à desobediência! A lei da retribuição, tanto no seu sentido positivo como negativo, é bem clara no Antigo Testamento (Dt 28.47,48). Quando olhamos para o Velho Testamento, vimos a resposta de Deus imediatamente à prática cometida, talvez esta resposta imediata fosse em virtude da necessidade de se cumprir a Lei, hoje apesar de sabermos que o principio é o mesmo, há em nosso subconsciente a realidade da GRAÇA, e muitos acabam por quebrar as alianças estabelecidas com Deus, pois se apóiam na Longanimidade do nosso Pai Celestial e andam defraudando a Sua Palavra ou até mesmo, não crendo mais nela. Contudo, a sentença para estes é certa, o juízo lavrado há longo tempo não tarda, 2 Pe 2.1-3.
- Renove a aliança hoje, não deixe passar a oportunidade, o Senhor te fortalece... Is 40.29.
2. A maldição da idolatria.
- Idolatria
. Colocar qualquer coisa, ou pessoa, em lugar de Deus. A idolatria é o caminho mais curto para o cristão extinguir, apagar a presença do Espírito Santo em sua vida (1 Tss 5.19), devemos está centrados na Palavra e não se comunicar com o pecado (Ef 5.11), antes, condená-lo. Mesmo servido a Deus, estamos sujeitos a cair no pecado da idolatria, a Bíblia relata pelo menos três tipos de idolatria, 1) A ídolos (deuses) Lv. 26; 2) A pessoas Rm 1.25 e 3) dinheiro Cl. 3: 5; 1 Tm 6.10.
 Observamos que a idolatria a um falso deus, por parte de um cristão é remota, em virtude de já ter uma satisfação espiritual, ou seja, Deus já habita em seu coração e preenche essa necessidade. Contudo, há circunstâncias que podem levá-lo à idolatria a pessoas, dinheiro ou até programas de televisão, por exemplo: Há pessoas que idolatram um pregador, um cantor, uma cantora; há outros que são tão materialistas, que não fazem nada absolutamente nada se não lucrar, outras não vivem sem assistir um capítulo da novela preferida, chegam atrasados nas reuniões, mas não pedem o horário da novela ou de um programa de TV.
Todas essas práticas trazem maldição sobre o cristão, da mesma forma que traziam grandes prejuízos para o povo de Israel, dentre elas a escassez. Note que estamos estudando sobre o fruto da obediência. Como está o nosso celeiro? Está com bons frutos? Ou está vazio?. Coloquemos em prática esta palavra assim seremos homens e mulheres de sucesso material e espiritual. Medite: é tempo de deixar Gl 5.19-21 e abraçar
definitivamente Mt 22.37-38.

III. A OBEDIÊNCIA E SUAS LIÇÕES
1. A bênção como instrumento de proteção.

- Deus prometeu segurança ao povo de Israel (Dt 28.7), mas isto não descartava a possibilidade de a nação eleita passar por situações conflituosas. Apesar de essa proteção ser condicionada à obediência, os israelitas tinha a certeza absoluta que as bênçãos de Deus estariam sobre eles, caso obedecessem aos mandamentos e estatutos ordenados por Deus.
- Muitas são as adversidades daqueles que desejam viver piamente em Cristo (2 Tm 3.12).
- Apesar das adversidades que passamos, há promessas de proteção e segurança para nós. É necessário confiar nas promessas (Ef 1.3), somos a propriedade particular de Deus (1 Pe 2.9), somos mais que vencedores em Cristo Jesus (Rm 8.37), nada e ninguém pode ou tem a capacidade de nos afastar de seu Amor (Rm 8.31-35) e da sua Paz (Jo 14.27), sabemos que Ele é o nosso Pastor e nada vai nos faltar (Sl 23).  São essas bênçãos que nos trás sensação de segurança espiritual.


2. Período tribal e monárquico. - No período dos juízes, o povo fazia o que achava mais correto (Jz 21.25). O comentarista trouxe o contexto do dos Juízes e monárquico, para mostrar que há uma importância significativa na forma de governo de uma nação. É muito importante comentarmos em sala de aula sobre a desigualdade social que assola o nosso país, quantos políticos nós temos que se preocupa com o povo realmente, quantos lugarejos no Nordeste do país, onde a comunidade sofredora serve apenas de massa de manobra política entre outros que podemos elencar.
- A pobreza é causada também pelas injustiças cometidas pelos governantes e a prosperidade advém como resultado do temor que os mandatários nutrem por aquele que governa todas as coisas: o Todo-Poderoso Deus (2 Cr 31.20). Estamos nós cuidando dos
mais necessitados? Estão os nossos governantes merecendo o nosso voto?

3. As falsas ideias sobre maldição. “A maldição do SENHOR habita na casa do ímpio, mas a habitação dos justos ele abençoará”. PV 3.33. Entendo que há algumas pessoas que não têm o conhecimento da verdade, e por isso têm uma história familiar de graves pecados, como por exemplo: feitiçaria, casa de prostituição, práticas de crimes violentos, suicídios, entre outros, e muitos dessas pessoas são atraídas para o mal, eles têm prazer em praticar o mal.
- Em face dessas situações, a solução é de fato a conversão, para que essa pessoa seja regenerada, tenha um novo nascimento em Cristo Jesus, feito isso, torna-se nova criatura e as coisas velhas passaram (2 Co 5.14). Mas enquanto o pecador estiver sob o julgo de satanás, está vivendo em maldição, não que Deus tenha o amaldiçoado – mas a própria pessoa busca o mal para si.

 
CONCLUSÃONesta lição destacamos que Deus quer fazer prosperar o seu povo e para isso deu-lhe muitas promessas. Igualmente, precisamos deixar bem claro que o fato de um crente passar por lutas e dificuldades não significa que ele esteja em pecado ou em desobediência a Deus, pois o próprio Cristo alertou-nos de que no mundo seremos afligidos (Jo 16.33). Mas que o pecado traz consequências para a vida do crente, não o podemos negar (Gl 6.7). Por isso, devemos agir com muito equilíbrio e sobriedade ao tratar desse assunto.

Teste seu aproveitamento na aula... http://sidonemeditandonapalavra.blogspot.com/2012/01/licao-3-os-frutos-da-obediencia-na-vida.html

Bibliografia
Bíblia de Estudo SHEDD
Roteiro de estudos

Um comentário:

  1. Irmão vim fazer uma visita ao seu blog, li algumas coisas, e dou graças a Deus pelo seu empenho em proclamar a bendita Palavra. Quero porém deixar algo mais do que um simples comentário. Quero deixar estas palavras: Que escreva sempre com humildade, de todo o coração, e com muito amor, escreva principalmente as verdades vividas na sua vida, porque eu creio que o seu alvo e o meu é sermos úteis, e atingirmos o coração dos que lêem. Aproveito para fazer um convite. gostaria de te-lo como meu amigo virtual na Verdade que Liberta. As minhas saudações em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.