Páginas

sábado, 28 de janeiro de 2012

AS BÊNÇÃOS DE ISRAEL E O QUE CABE À IGREJA

As Bênçãos de Israel e o que Cabe à Igreja - Lição 5
Objetivos:
Identificar o caráter pessoal das bênçãos sobre Abraão;
Compreender o aspecto nacional da bênção de Desus sobre Israel;
Coscientizar-se de que através da igreja as bênçãos de Deus têm um alcance universal.

Princípios para a interpretação das promessas bíblicas
1. Promessas feitas a indivíduos específicos não foram formuladas com a intenção de serem válidas para todos os crentes.
2. Promessas feitas aos israelitas do Antigo Testamento geralmente não se aplicam a pessoas de hoje.
3. Algumas promessas bíblicas feitas no Antigo Testamento são aplicáveis aos dias de hoje. Nessa categoria estão as promessas bíblicas baseadas na natureza de Deus, promessas com paralelos em o Novo Testamento e promessas gerais para ‘os que confiam no Senhor’.
4. Os ‘ditos de sabedoria’ do livro de Provérbios não foram escritos para serem considerados como promessas bíblicas.
5. Palavras ditas por seres humanos registradas na Escritura não são, necessariamente, promessas bíblicas.
6. Algumas promessas bíblicas são incondicionais, enquanto outras são condicionais.
7. Ao interpretar as promessas de Deus, tenha sempre em mente o que outras passagens sobre o mesmo assunto revelam.
8. Ao interpretar as promessas de Deus, deixe o contexto determinar o significado apropriado das palavras bíblicas.

INTRODUÇÃO
Palavra Chave
Promessas: Ato amoroso por meio do qual o Senhor estabelece um compromisso fiel e santo com seus servos.
Nesta aula teremos uma visão maior sobre as bênçãos de Deus destinadas aos seus filhos nas esferas: 1)Pessoal; 2)Nacional e 3)Universal, neste sentido verificamos que há uma progressão ou um reflexo das bênçãos de Deus sobre a vida de alguém, é como se cumprisse o que está escrito sobre a fidelidade do servo fiel, Mt 25.23. 
- Estudaremos as bênçãos sobre a vida de Abraão – individual, e os reflexos dessas bênçãos nas vidas de pessoas do nosso convívio;
- As bênçãos prometidas por Deus especificamente a Israel – Nacional;
- As bênçãos destinadas à sua Igreja, analisando as promessas divinas do Antigo Testamento em seus respectivos contextos – Universal.
- Veremos através da através da Bíblia, o que foi prometido a Israel e o que cabe à Igreja de Cristo.
I. ABRAÃO E O ASPECTO PESSOAL DA BÊNÇÃO. veja Dt.28.1-14.
- Nesse primeiro ponto da aula, estudaremos o aspecto das bênçãos de Deus sobre pessoas, ou seja, o homem recebendo e/ou deixando de ganhar as bênçãos de Deus, para tanto o comentarista usou o Patriarca Abraão como exemplo. No primeiro momento veremos as bênçãos de Deus e seu alcance INDIVIDUAL, em seguida veremos seu alcance na COLETIVIDADE, ou seja, sobre as pessoas que convivemos direta e indiretamente e que muitas vezes podem ser abençoado através do servo de Deus.
1. O alcance individual das bênçãos.
- A Bíblia revela que Deus trata com pessoas e não apenas com nações. O principio desse entendimento é: INDIVIDUO => FAMILIA=> SOCIEDADE=> NAÇÃO, logo, quando um indivíduo é abençoado por Deus – essas bênçãos alastram-se e alcançam outras pessoas. - Exemplo de Abraão.
- Na Antiga Aliança, as bênçãos contemplavam o presente, mas também o porvir. A nossa visão aqui deve ser MACRO, ou seja, quando se trata de ALIANÇA, (Deus com o Homem) sabemos que a Antiga Aliança era a sobra da Futura Aliança, que fora revela em Cristo, por este motivo as bênçãos que pairavam sobre a Antiga Aliança se estenderam à Nova Aliança, ou seja, para o futuro (Gn 12.3; Gl 3.15-22), assim podemos dizer que tais bênçãos eram temporais (porque os seus recebedores eram abençoados no seu tempo) e eternas (porque apontava para o resgate da Humanidade). Tais bênçãos se concretizavam após uma promessa, e quem fez a promessa é Fiel para a cumprir  e não pode negar a Si mesmo, além das bênçãos serem temporais e eternas – são também materiais com seu objetivo final Espiritual. Uma vez que a história da Salvação tem seu desfecho na história real, envolvendo toda humanidade. 
- Bênçãos temporais: Aquelas que diziam respeito à realidade pessoal do patriarca;
- Bênçãos eternas: Referiam-se às promessas que estavam por se cumprir na plenitude dos tempos (Gl 4.4).
Contexto da chamada de Abraão:
- Quando Deus chamou Abraão de Ur dos Caldeus, este atendeu o seu chamado motivado em cumprir a vontade divina, e não por interesse materiais e/ou financeiros;
- Por este motivo Abraão foi abençoado em tudo, inclusive com bens materiais (Gn 24.35);
- Destaca-se que Abraão sabia como lidar com o transitório, pois tinha a mente no eterno.


2. O alcance social das bênçãos.
Continuando o exemplo de Abraão... agora no aspecto social.
- De nada adianta possuir bênçãos materiais, se aqueles que estão ao nosso redor, não forem alcançados em decorrência de nossa confissão e testemunho (Gn 12.3). Neste parágrafo, nos chama à atenção pela atualidade dessa realidade, pois vimos em Abraão que apesar de ser próspero materialmente (Gn 13.2) – era um adorador do Senhor (Gn 13.4) e uma pessoa desprendida das coisas terrenas (Gn 13.9), assim abençoou outras pessoas com liberalidade, e não por obrigação.
- Outro fator indispensável na vida de um cristão é o TESTEMUNHO. Abraão nos revela seu caráter com suas atitudes, seriedade e compromisso com Deus (Gn 12.8).
- Abraão desfrutava de um excelente conceito por parte dos que o cercavam, além de muitas pessoas serem abençoadas por ele (Gn 12.3; Ne 1.7,8).
- Por fim, além das bênçãos materiais, financeiras ou apenas para subsistência, que muitas pessoas receberam de Abraão diretamente ou indiretamente; hoje desfrutamos de uma benção muito maior, mesmo vivendo em uma geração tão distante daquela; por meio da fé de Abraão a benção da salvação em Cristo Jesus chegou até nós (Gl 3.14).
Aplicação.
Meu irmão apesar das maselas que o mundo nos apresenta constantemente, temos a nobre responsabilidade de anunciar o Reino de Deus, que as bençãos do Senhor que estão sobre nós alcance os nossos familiares, colegas de trabalho, vizinhos, na escola em fim em qualquer lugar. Faça a diferença
"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus". Mt 5.16.

II. ISRAEL E O ASPECTO NACIONAL DA BÊNÇÃO
Para este ponto da aula, se intere da história e da criação do Estado de Israel, veja, quando Israel foi reconhecido mundialmente como nação. links abaixo.
- Contexto Histórico da divisão dos Reinos até a Criação do Estado de Israel.
- Vídeos Históricos, sobre a criação do Estado de Israel.

1. O alcance geográfico das bênçãos.
- Vimos que dentre as bênçãos prometidas a Abraão, encontra-se a benção da conquista de uma terra, onde seria formada uma grande nação (Gn 12.2, 17.8). Tal promessa marcou a História do povo judeu, que por muitos anos lutaram para tomar posse da benção prometida (Gn 12.2; Ex 13.5; 23.23,28; 33,2; Js 3.10; 13.1-6), em maio de 1948, Israel é reconhecido como Nação independente sob muito esforço e votações acirradas, então, os judeus de várias partes do mundo começam a retornar para sua terra (Jr 30.10).
 - É uma bênção que diz respeito unicamente ao povo de Israel (Dt 28.8).
2. O alcance político das bênçãos.
- As bênçãos prometidas a Abraão, também tinha cunho político, uma vez que as mesmas se estenderam também na esfera geográfica. Logo, estamos falando de conquistas, guerras, lutas e muitos conflitos que o povo de Deus iria enfrentar para tomar Possi da benção completamente (Gn 12.2; Ex 13.5; 23.23,28; 33,2; Js 3.10; 13.1-6), assim sendo necessitavam de uma boa diplomacia para avançarem nas conquistas. Nesse aspecto havia sobre eles a intervenção divina (Dt 28.10).
- Para não incorrermos em erros de interpretação Bíblica, no que se refere as bênçãos de Deus à Israel e o que nos cabe, é necessário observamos o contexto histórico e o público a quem se destina a promessa, uma vez que algumas são exclusivamente ao povo hebreu.

3. O alcance global das bênçãos.
- O alcance da benção prometida a Abraão (Gn 12.3), transcende ao natural, se trata da segunda referência ao nascimento do Messias, Jesus Cristo (Gn 3.15). Nesse texto Deus está prometendo: a) Que o Messias haveria de descender ou haveria de nascer da família de Abraão (Mt 1.1); b) Que a mesmo tipo de FÉ utilizada por Abraão (Rm 4.16) era a mesma que justificariam os gentios (Gl 3.8); c) Que a Salvação não era apenas para a posteridade de Abraão; mas, para todos os povos (Rm 4.9-25).
- Outro exemplo de promessa ilimitada quanto aos seus recebedores: O derramamento do Espírito Santo, apesar de ser feita a Israel, acha-se disponível a todos os que recebem a Jesus como salvador (Jl 2.28-31; cf. At 2.39), Paulo entendeu exatamente essa promessa (Gl 3.14).

III. A IGREJA E O ASPECTO UNIVERSAL DA BÊNÇÃO
Para este ponto, sugeri-se uma visão espiritual por parte do nobre leitor, uma vez que algumas bênçãos prometidas na Antiga Aliança só foram possíveis com o advento do Messias (Hb 8.8-12; 10.10). Mesmo porque a Igreja não está ligada aos ritos e cerimônias judaicas. Face o exposto, estudaremos agora as bênçãos em Cristo Jesus (Ef. 1.3). Foi consumado (Jo 19.30), tome posse.  A igreja revela o aspecto universal das bênçãos de Deus prometidas a Abraão, uma vez que a igreja é a instituição visível/espiritual estabelecida pelo Senhor Jesus Cristo (Mt 16.18), e através dela o Reino de Deus é manifesto e conhecido de todos os principados e potestades (Ef 3.10).

1. Transitório versus eterno. - As bênçãos na Antiga Aliança eram: material; social e espiritual.
- Contudo, enfatizaremos mais a natureza espiritual, podendo fazer uma comparação entre as duas Alianças, colocando as promessas respectivamente:
Antiga Aliança
- Era sombra da Nova Aliança (Cl 2.17; Hb 10.1)
- Imperfeita (Hb 8.7);
- Transitório (2 Co 3.13; Hb 8.13);
Nova Aliança
- Perfeita (Hb 8.6);
- Promessas superiores (Hb 8.6);
- Bênçãos eternas (Hb 10.34); 
- É o cumprimento das promessas feitas na Antiga Aliança (Rm 16.25)
Assim vemos que desfrutamos da plenitude, das bênçãos que estavam ocultas desde os tempos antigos. (Rm 16.25).
2. Material versus espiritual.
Neste ponto vimos o tema da revista, afinal, o que pertencia a Israel e que pode ser também desfrutado pela Igreja?
- À Igreja de Cristo, cabem as bênçãos espirituais, não significa que não caibam também as bênçãos materiais, entretanto, as bênçãos espirituais devem ser buscadas e desejadas em primeiro lugar na vida dos cristãos (Mt 6.19-21). Até porque as bênçãos espirituais não têm valor financeiro – foram conquistadas pelo sangue de Jesus (1 Pe 1.18-19). 
- Assim podemos dizer que a Igreja é abençoada com todas as bênçãos espirituais em Cristo Jesus (Ef 1.3), bênçãos estas conquistada na consumação da obra de Cristo na cruz do Calvário (Jo 19.26).
- Bênçãos conquistadas para Igreja com a o advento da Nova Aliança:
a) Justificação (Gl 2.16,21);
b) Dom do Espírito Santo (Gl 3.2);
c) Herança espiritual de filho de Deus (Rm 8.14);
d) Vida eterna (Gl 3.21; Rm 8.2) e
e) Verdadeira liberdade em Cristo (Gl 4.8-10; 5.1).
- Essas bênçãos foram conquistadas na cruz do Calvário, quando o nosso Senhor Jesus exclamou em alto e bom som “Está consumado” (Jo 19.26), Satanás não esperava ouvir esta Palavra, foi o fim do poder da morte sobre a humanidade. Pois todos que olharem para o Senhor podem ser salvos e herdeiros da Vida Eterna.
3. Pobreza e riqueza.
Aqui deve ser apresentada a moderação, considerando a cosmovisão cristã, não é razoável que o cristão se dedique o seu tempo inteiramente  às conquistas, esquecendo-se das espirituais, pois, a nossa estadia na terra é transitória (Hb 13.14). Deus quer que experimentemos a sua presença intensamente, portanto, corramos e prossigamos em conhecer ao Senhor (Os 6.3). Contudo, sem se esquecer das nossas responsabilidades como pai, responsável por trazer o sustento para sua família, sabendo ainda que Deus é provedor, que não depende só de nós se conquistamos ou deixamos de conquistar os nossos sonhos e objetivos; mas dependemos da misericórdia de Deus (Rm 9.16), é Ele quem abre portas aonde não há portas (Ap 3.7), e quem tem a competência e exclusividade de nos abençoar (Gn 12.3). 
- Pessoas piedosas que possuíam bens terrenos (Jo 3.1; 19.39) e desfrutavam perfeita saúde (3 Jo 2).
- O fato de termos irmãos carentes e enfermos (1 Tm 5.23; 2 Tm 4.20), não significa rebeldia contra Deus ou que não são filhos de Deus ou ainda que estejam amaldiçoados. Isso é mentira de Satanás, a seu tempo Deus abrir as portas, basta sermos fieis a Ele.

CONCLUSÃO
- Com esta aula identificamos o caráter pessoal das bênçãos sobre Abraão, compreendemos o aspecto das bênçãos sobre a nação de  Israel e estamos conscientes de que através da Igreja a multiforme sabedoria de Deus é revelada aos homens (Ef.3.10), sendo essa benção de caráter universal.
- Vimos ainda que o cristão deve ser moderado sobre as conquistas dos bens materiais, uma vez que a Bíblia nos os riscos do materialismo (Mt 6.21), portanto o nosso coração deve estar em algo superior (Fp 3.20). Por esse motivo, coloquemos o Senhor Jesus sempre em primeiro lugar.

Está consumado, tome posse das bênçãos de Deus para sua vida.

Boa aula!.

Bibliografia
Bíblia de Estudo - SHEDD.
Bíblia Online - Mundo Bíblico.

6 comentários:

  1. Muito interessante este trimestre a respeito da verdadeira prosperidade; por incrivel que pareça, muitos cristãos estãos alheio destas informações bíblicas para os nossos dias, que as bênçãos materiais, dependem exclusivamente da nossa dedicação e fidelidade para com Deus, amém?

    ResponderExcluir
  2. Meu nobre irmão, obrigado por sua visita, é verdade este trimestre está muito interessante, pois vem nos orientar biblicamente o que é de fato prosperidade, cabendo a cada um formar sua própria opinião sobre o assunto. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  3. Meu irmão continue fazendo este trabalho pois é uma benção!!!!!
    e atraves destas esplanações das liçoes da ebd vc está abeçoando a muitas pessoas pode ter certeza!
    Que Deus continue lhe abençoando!

    ResponderExcluir
  4. Oiie..... Adoreeei essa visualização dessa aula.... Mas me ajudoou Muuitooo...

    Se vc tiiveer algum e-mail para que eu possa te mandar algumas perguntas.. Por favor ,me adicioonee...


    vyvyancrys@hotmail.com

    Fique com Deus vc e sua Familiaa....

    ResponderExcluir
  5. É isso ai Alan! Vamos avante... sempre em frente trabalhando para o mestre. Excelente trabalho, Parabens!

    ResponderExcluir
  6. ANÔNIMA MARÇO,11 2012

    OLÁ MEU IRMÃO,GOSTEI MUITO DA SUA VISÃO,DA FORMA COMO ESPLANOU,FOI UMA BENÇÃO PARA MIM,QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO,

    FIQUE COM DEUS,FORTE ABRAÇO!!!!!!

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.