Páginas

terça-feira, 8 de março de 2011

O PRIMEIRO CONCÍLIO DA IGREJA DE CRISTO

APRESENTAÇÃO

Estamos diante de uma aula excepcional, pois aprenderemos que o Concílio de Jerusalém foi muito importante para o desenvolvimento do Reino de Deus entre os gentios, aprenderemos ainda que os Apóstolos foram guiados pelo Espírito Santo na decisão que fora tomada, portanto não há outra autoridade além deles que possam impor sobre os servos de Deus, um evangelho misturado com os ritos da Lei de Moisés - pesado e difícil de seguir. 
Aprenderemos que os Apóstolos seguiram a doutrina do Senhor Jesus Cristo, pois o nosso Senhor afirmou "Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" Mt 11.30. Esta aula, com certeza abrirá o nosso entendimento para as coisas que são realmente necessárias. para uma vida reta diante de Deus. O interessante é que este assunto diz respeito a nós - os gentios.    

COMENTÁRIO DA LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Introdução. 
Levantou-se um grupo de judeus - cristãos, entre os fariseus convertidos na igreja em Jerusalém (v.5), que insistia em convencer os gentios (não-judeus) a seguir a Lei segundo os judaizantes (legalistas) ou "zelosos da Lei de Moisés" como eram conhecidos na época (21.20). Uma das principais demonstração dessa obediência era a circuncisão, ritual jamais aprovado pelos apóstolos para os cristãos de qualquer etnia ou nacionalidade (Gl 2.11-16). 

At 15. 6-12 
6. Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos, para considerar este assunto.
Congregaram-se. A passagem de 4 a 22 nos revela uma sequência de reuniões para apresentação de relatórios  e deliberações eclesiásticas: reunião de boas-vindas e exposição de relatórios (v.4,5); reunião do Concílio da Igreja, composto de apóstolos, presbíteros e demais membros responsáveis pelo ministério da Igreja (v.12,23); reunião geral dos líderes espirituais com toda a assembleia da Igreja (12-22). 

7. E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Varões irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu, de entre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem.
Pedro. Que havia retrocedido doutrinariamente, deixou-se influenciar pelos judaizantes e, por isso, merecendo justa admoestação de Paulo (Gl 2.11-14), agora, em Jerusalém proclama a sua mais profunda convicção e fé inabalável (10.28,29): Deus concede a todos os gentios que aceitam a Cristo, o Seu Espírito Santo, como prova irrefutável de convicção ao Senhor (10.44,47; 11.17,18).  

8. E Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como, também, a nós;
9. E não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé.
Purificando os seus corações pela fé. Com seu estilo peculiar, Pedro declara a verdadeira doutrina da justificação em Cristo Jesus por meio da fé (v.11), que é confirmado por Paulo e os demais apóstolos (Rm 5.1; Gl 2.15-20; 2Co 1.24; 5.7; Cl 2.6; Ef 3.17; 1Jo 5.14).  

10. Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais, nem nós, podemos suportar?
Jugo que nem nossos pais, nem nós, podemos suportar. Uma tendência recorrente dos líderes espirituais judeus era atribuir pesadas responsabilidades religiosas aos seus seguidores em nome da Lei de Moisés (Rm 7; Gl 5.1 de acordo com Mt 11.28-30). Depois do sacrifício expiatório de Cristo, seria uma ofensa grave a Deus exigir rituais como o da circuncisão e a submissão legalista às Leis e às diversas interpretações e aplicações pregadas pelos fariseus. Este tipo de atitude seria como impor rituais e obrigações não requeridas por Deus, bem como desconfiar do relacionamento espiritual e da direção do Senhor para com os seus filhos (Rm 3.9,24; Ef 2.8).

11. Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles, também.
12. Então toda a multidão se calou, e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles, entre os gentios.

Então toda a multidão se calou. A assembléia geral que havia continuado seus debates, enquanto aguardavam o Concílio dos Apóstolos e presbíteros que se reuniram em particular, agora estabelecem profundo silêncio com respeito ao compartilhar de Barnabé e Paulo (Barnabé é citado aqui antes de Paulo, devido à sua importância na Igreja de Jerusalém na época; O N.T passa a citar Paulo e Barnabé, especialmente após os eventos dramáticos ocorridos na Ilha de Chipre - 13.7-42). 


COMENTANDO DA LIÇÃO - 11 

O PRIMEIRO CONCÍLIO DA IGREJA DE CRISTO

TEXTO ÁUREO
“Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas essenciais: que vos abstenhais das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Saúde”. At 15.28,29

Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós. Vimos aqui uma intima comunhão entre os apóstolos e o Espírito Santo, “é como se eles ouvissem a voz do Espírito Santo naturalmente”, uma vez que isso foi decidido em reunião. Não é incrível?

Encargo... coisas essenciais. Refere-se a cobrança que estava tendo por parte dos judeus, aos cristãos gentios, pois aqueles exigiam destes que cumprissem os ritos da Lei Mosaica, mas, com a iluminação do Espírito Santo, exigiram apenas os essenciais, ou seja, aquelas que ferem diretamente o caráter de Deus. 

O atendimento a essas proibições marcam o povo de Deus. Desde os primeiros acampamentos do povo de Israel no deserto, até os dias de hoje, o Senhor tem cuidado do seu povo para que sejamos de fato um povo especial, zelos e de boas obras Tt 2.14, Deus sempre cuidou do seu povo para que eles fossem separados assim como Ele é Separado, sede santos porque Eu Sou Santo. Lv 20.7; 1 Pe 1.16. Estas proibições já eram previstas no V.T, agora praticada pela Igreja, afim de que o povo continuasse separado. 

Coisas sacrificadas a ídolos. Deus deixou bem gravado para o povo de Israel que Ele era o Seu Deus Lv 19.4, portanto, qualquer relação do povo com qualquer ídolo era coisa abominável 1Rs 21.26, diante do Senhor, além disso, se comessem das coisas sacrificadas aos ídolos, de forma direta ou indireta estariam participando do culto ao respectivo ídolo.

Do sangue. Lv 17.10-14. 1.A vida de um animal estava no seu sangue, Gn 9.4, e a vida era sagrada, pertencendo exclusivamente a Deus concedê-la ou retirá-la; 2.O sangue era sagrado por que era usado nos sacrifícios para expiação dos pecados; 3.O sangue era sagrado porque simbolizava a vida de Cristo derramada na Cruz do calvário para expiação de nossos pecados Hb 9.12-14, 22. Deus proibiu a Noé de comer sangue Gn 9.4 e à sua Igreja também At 15.29. O sangue é um elemento SAGRADO

Da carne sufocada. É a carne do animal que é morto por asfixia, ou seja, sem retirar o seu sangue. Gn 9.4. 

Relações sexuais ilícitas. Refere-se a casamentos ilícitos e uniões abomináveis Lv 18. São práticas que ferem diretamente a Santidade de Deus e os que tais coisas praticam não herdarão o Reino de Deus 1Co 6.10; Gl 5.19-21.

INTRODUÇÃO
O problema. Alguns fariseus convertidos (v.5) insistiam que os gentios convertidos deveriam observar a Lei de Moisés (ritos e costumes) para serem salvos (v.1).

Consequências. Paulo e Barnabé tiveram uma acirrada divergência com eles (os irmãos); Talvez sobre Lei e Graça.   

A solução. Os irmãos decidiram que Paulo e Barnabé, juntamente com outros, deveriam subir até Jerusalém e tratar dessa questão com os apóstolos e presbíteros, onde foi colocado em pauta alguns eventos ocorridos entre os gentios, os quais os ajudariam a tomar a decisão correta. 
A decisão tomada naquele momento (ano 48 d.C), foi vital para que o cristianismo expandisse com a mesma simplicidade, poder e liberdade, revelados em Cristo Jesus.
I. O QUE É UM CONCÍLIO
Definição etimológica: vem do latim, concilium, conselho, assembléia.

Considerando que o comentarista deu uma definição na PALAVRA CHAVE e deu outro como resposta correta, é prudente explicar o significado real da palavra, o significado dado na palavra chave e o sentido desta palavra para os cristãos evangélicos

Considerando que esta palavra tem origem latina, e que foi usada primeiramente pelos lideres católicos romanos para definirem suas reuniões relativas a assuntos eclesiásticos. Os nossos dicionários trazem o seguinte significado:

Concílio. Assembléia de altos lideres católicos em que se tratam assuntos dogmáticos, doutrinários ou disciplinares.

Palavra Chave: Reunião que trata de assuntos dogmáticos, doutrinários ou disciplinares.

Para os cristãos evangélicos: Reunião de lideres do ministério que delibera a cerca da , doutrina, costumes e disciplina eclesiástica.

Os concílios no Antigo Testamento.
O primeiro ocorreu quando Moisés reuniu os anciãos dos filhos para expor o plano de Deus para libertar o povo do Egito. Ex 4.29;
Ocorreram outros:
Pelo rei Josias, para promover renovação de aliança com Deus – 2 Cr 34.29;
Pelo sacerdote Esdras, em Jerusalém para expor as transgressões dos homens de Israel que casaram-se com mulheres estrangeiras – Ed 10.10-14;
Pelo profeta Ezequiel, reunido com os anciãos (responsáveis para aconselhar o povo Ez 7.26) em sua casa para expor, “talvez” as revelações de juízos que recebera de Deus concernente a Israel - Ez 8.1.

Os concílios em o Novo Testamento.
Os apóstolos reuniram-se em três ocasiões:
1. Eleger Matias como substituto de Judas Iscariotes – At 1.13;
2. Instituição dos diáconos – At 6.2;
3. Sobre o uso ou não dos costumes judaicos pelos gentios convertidos – At 15.6.

II. A IMPORTÂNCIA DO CONCÍLIO DE JERUSALÉM
A primeira reunião dos apóstolos foi importante, pois era necessário haver um substituto para Judas; a segunda foi também importância porque concretizava-se naquele momento a organização interna da igreja; Mas a terceira foi muito importante porque foi para decidir sobre a funcionalidade do cristianismo, não apenas para aquele momento; mas para uma igreja futura, um povo que seria alcançado nos confins da terra, vivendo fora dos limites de Israel.

Esta decisão foi de grande importância para a igreja naquele momento e para a igreja futura. Os apóstolos entenderam através do mover do Espírito Santo entre os gentios, que Cristo veio para libertar o homem da Lei (visível, ritualística, mecânica) e escrevê-la nos corações de todos que reconhecem o Senhor Jesus, como O Cristo de Deus, Senhor e Salvador. Ficando claro que a salvação é pela graça, ou seja, é imerecida.

A convocação do Concílio se deu por iniciativa dos apóstolos Paulo e Barnabé, após terem tido uma acirrada discussão com os irmãos em conflito (15.2,6), em Antioquia, (capital e maior cidade da província romana da Síria - At 14.26,27), de onde os apóstolos haviam sido enviados para a primeira viagem missionária de Paulo (At 13.1-3).

O concílio era para tratar de assuntos que estavam incomodando os crentes judeus e gentios de Antioquia.

Presidência.
O Concílio foi presido por Pedro, talvez porque foi o apóstolo que mais teve conflitos internos nesse aspecto, são várias passagens que relatam sobre o assunto. Podemos inferir que o mesmo tomou a palavra durante o Concílio por ter sido iluminado (liberto) da servidão da Lei e reconhecido a graça de Deus, pois em At 10, reluta para pregar ao gentio Cornélio, e experimenta a liberdade que há em Cristo At 10.10-35. É repreendido por Paulo em Gl 2.14, etc.. para saber mais ler Gl 2.

Observamos que a reunião foi direcionada pelo Espírito Santo desde o início até o retorno da resposta aos irmão de Antioquia (At 15.28).

Debates.
Pedro argumenta....  
Que foi escolhido para pregar aos gentios 7;
Os gentios receberam o Espírito Santo 8;
Deus não estabeleceu diferença entre judeus e gentios 9;
Os gentios tiveram seus corações purificados pela fé 9;
O jugo, ora imposto aos gentios; não foram suportados nem mesmo pelos ancestrais judaicos e nem pelos discípulos 10;

Por fim dar o seu parecer: “...Judeus e gentios são salvos pela graça do Senhor Jesus” 11;

Tiago também argumenta....
Deus havia realizado grandes sinais e prodígios entre os gentios 12;
Deus constituiu um povo entre os gentios para o Seu Nome 14;
O encontro de Deus com os gentios era profético 15-18.

Por fim dar o seu parecer: “ ...Não devemos perturbar os gentios que se convertiam a Cristo... Mas, que se abstenhassem das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue v.20.

Os argumentos foram acatados por todos e a decisão enviada aos irmãos em Antoquia.


III. A CARTA DE JERUSALÉM
Neste ponto é o momento que o professor pode aplicar a lição ao contexto do aluno.

É sabido que o nosso país tem raízes em várias nações e por isso é uma nação como várias culturas e rituais, são para os elementos desses rituais e dessas culturas que devemos ficar atentos e mostrar para o nosso aluno.
  
Da Salvação pela graça. 
Pedro reconhece que a Salação é pela fé em Cristo Jesus e que ela é universal.
Sabemos que há muitas pessoas que acreditam que a salvação depende das obras de caridade, outras acreditam que devem seguir a Lei de Moisés, mesmo vivendo no Brasil.

Ref. Rm 3.28, 6.15 - Lei e graça; Gl 4.8-11. 


Da comida sacrificada aos ídolos. 
A partir desse subponto pode ser feito bastante aplicações conforme a sua região do país, e utilizar para algumas explicações teológicas o comentário do texto áureo, no inicio da postagem.

Conclusão
Com esta aula de hoje, fomos mais uma vez agraciados por Deus, nós sabemos qual questão deve ser resolvida na maior igreja evangélica pentecostal do Brasil. Mas o que devemos atetar de fato é para o princípio do comportamento cristão e não para o tipo das vestes ou outro aparato. O princípio é conforme Paulo escreveu a 1Tm 2.9, trajes decentes, modéstia e bom sendo, são esses princípios requeridos por Deus aos seus servos.
Vigiemos pois para sermos sepulcros caiados, ou uma árvore sem frutos.

Não esqueça!
O conhecimento teológico exposto pelo professor, encanta o aluno; Mas a mensagem transmitida na aplicação pessoal, o transforma. Alan Fabiano.

Bibliografia
Bíblia de estudo - SHEDD.
Bíblia de Estudo - Genebra.
Novo Testamento. King James, Edição de Estudo.
FERREIRA. Aurélio Buarque de Holanda. Mini Dicionario da Lingua Portuguesa, Rio de Janeiro. Nova Fronteira, 4ª Ed. 2001.  

4 comentários:

  1. O comentário do texto áureo, ajudou a entender melhor o versiculo.

    ResponderExcluir
  2. jesus continue a te dar sabedoria gilson salvador ba

    ResponderExcluir
  3. Meus irmão que o Senhor continue abençoando vocês também, e vos dê inspiração para ministrar as aulas.
    Paz do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
  4. A paz do senhor, conheci hoje esse sait que explicaçao maravilhosa vai mi ajudar bastante na minha aula.

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.