Páginas

sábado, 19 de fevereiro de 2011

COMENTÁRIO HISTÓRICO - CULTURAL DA EXPANSÃO DA IGREJA

Atos 5.1 - 11.18
À medida que a jovem igreja se estabelece em Jerusalém, ela enfrenta desafios de dentro e de fora. Apesar da tensão que esses desafios causam, cada um deles resulta no fortalecimento do corpo de Cristo e na definição permanente da sua missão sobre a Terra.

Desafios internos. Ananias e Safira são incentivados por Satanás a introduzir avareza, hipocrisia e fraude na comunidade, desta forma corrompendo a pureza da igreja. Suas mortes deixam claro que Deus está ativo entre estas pessoas que são convocadas a refletirem sua santidade e estimular uma nova onda de milagres e evangelização (5. 1-16). Mais tarde, surge o conflito entre os irmãos de fala grega e os de fala aramaica, sobre a distribuição de alimentos aos necessitados.

Os desafios externos. A reação do povo à pregação dos apóstolos enche de inveja os membros do grupo do sumo sacerdote. Os apóstolos são presos e somente a voz moderada de Gamaliel, talvez o mais honrado dos sábios judeus, até hoje, impede o Sinédrio de provocar a morte deles (5.17-42). Apesar disso, o rápido crescimento da igreja cria grande hostilidade. Frustrados pela ousada pregação de Estêvão, os membros de uma sinagoga conspiram para acusá-lo falsamente de falar contra o tempo e contra a Lei de Moisés – crimes religiosos graves. Arrastado diante do Sinédrio, Estêvão narra os esforços históricos de Deus para alcançar um povo determinado a resistir ao Espírito Santo, um povo que perseguiu os profetas, e que agora traiu e assassinou o próprio Cristo. O incidente leva a uma perseguição intensa, oficial,  e aberta à igreja, o que obriga um grande êxodo de irmãos para fora de Jerusalém. Contudo, isto também produz resultados positivos.

Quando os cristãos param nas pequenas cidades da Judéia e da Galiléia, eles compartilham sua fé (8.1b-4). Então ocorre em Samaria o inesperado resultado da dispersão. Ali, quando Filipe prega Cristo, grandes multidões reagem ao Evangelho. Quando Pedro e João vêm para verificar, percebem que Deus pretende unir judeus e os samaritanos em um única igreja,  e eles também anunciam o Evangelho “em muitas aldeias dos samaritanos” (8.5-25).

Outro desafio da igreja se deu quando Pedro foi enviado a se encontrar com Cornélio, um oficial romano, quando Pedro começa a explicar o Evangelho, o Espírito Santo desce sobre Cornélio e os outros gentios, e eles começam a falar em línguas. Assim a igreja foi avançando em várias camadas sociais, Pedro entende que Deus decidiu aceitar os gentios da mesma forma que os judeus que criam em Jesus (At 10.1 – 11.18), os cristão judeus compreenderam que “até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida” (11.18).

Enquanto isso, o Sinédrio continua a banir o cristianismo onde quer que ele tenha se espalhado. Um fariseu chamado Saulo, um perseguidor implacável da igreja, recebe cartas que o autorizam a prender judeus em Damasco, porem, no caminho tem um encontro com o próprio Cristo, e o que era perseguição se tornou em crescimento da igreja, pois, em lugar de aprisionar os cristãos hebreus, Saulo desconcerta a comunidade judaica proclamando poderosamente a mensagem cristã, assim a igreja continua avançando.

A jovem igreja enfrentou vários estágios de conflitos, tanto internos quanto externos, estes sempre com uma conotação de perseguição, aqueles quando a pureza da igreja estava ameaçada. Mas, apesar desses conflitos ou das perseguições que dispersaram os crentes de Jerusalém, a missão da igreja de espalhar o Evangelho de Cristo ficava cada vez mais definida, explodindo de sua minúscula pátria para espalhar-se, como uma chama, por todo império. 

Bibliografia
Novo Testamento. King James, Edição de Estudo.
RICHARDS, O. Lawrence. Comentário Hitóico - Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro. CPAD, 2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.