Páginas

domingo, 30 de janeiro de 2011

A IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA NA IGREJA

A IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA NA IGREJA
Lição - 6

Dica! Antes de iniciar a aula, acredito ser importante o professor, destacar em apenas 2min, uma das partes iniciais da revista, até mesmo para valorizar o exelente trabalho do nosso comentarista.
Pode ser o Texto Áurio, Verdade Prática ou um dos versículos da Leitura Diária, este é importante, pois pode despertar o aluno para a leitura da revista.

Destacarei dessa vez o versículo da sexta - Hb 12.6.
"Porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe".
Corrige. (gr. paideia, "treino" "educação para a vida" "catigo"). A correção e responsabilidade recebidas de Deus produzem vantagens futuras na maturidade alcançada, ou seja, a disciplina tem o objetivo de fortalecer o nosso carater e nos prepara para novas experiências. cf. 5.13,14.

INTERAÇÃO
-Destacar o tema da Lição;
- A disciplina é necessária para manter a ordem;
- A disciplina pode ser: Coerciva e Educativa;
- A disciplina está presente deste o Éden (V.T, N.T e Atualmente);
- A disciplina foi criação de Deus - Ele é o nosso Pai Eterno.

Objetivos
Reconhecer que a disciplina é uma prova do amor de Deus;
Explicar a necessidade da disciplina;
Saber que todo ato gera uma consequencia - "ação/reação"

INTRODUÇÃO
Após ler a introdução em sala de aula, o nobre professor pode destacar alguns aspectos do episódio Ananias e Safira, quais sejam,
- Uma Igreja descompromissada com a Palavra de Deus é facilmente enganada;
- Há muitos crentes como Ananias e Safira ainda hoje, os quais acham que podem comprar a justiça de Deus com ofertas volumosas; entretanto, praticam coisas ilícitas (sonegação de impostos; estelionato; contrabando; cheque sem fundo; negociam mal intencionados; não são dizimistas e etc...) para os servos de Deus;
- Uma Igreja que prima pela sã doutrina, tem o mover do Espírito e nada fica oculto e a justiça de Deus é executada;
- Uma Igreja que não prima pela sã doutrina como um padrão a ser seguido, facilmente cai na hipocrisia -> mentira -> engano -> e por fim, apostasia.
- A disciplina tem a função de manter a equilíbrio do grupo; sem disciplina o grupo se corrompe e perde o alvo. “... Cristo autor e consumador da fé. Hb 12.2.

I. A DISCIPLINA E SUA NECESSIDADE
1. Definindo a disciplina
- Disciplina. Educar, ensinar, corrigir.
- Ela pode ser: Preventiva e Corretiva.
-Jamais pode ter cunho Repressivo, pois seu objetivo principal é recuperação, resgate, restauração do transgressor, pois ela é próprio de quem ama. (Hb 12.6)
- Seu objetivo principal é: Conscientizar-nos quanto às conseqüências de nossas atitudes (Gl 6.7), a disciplina deve nos levar à reflexão.
- A falta de disciplina, em todas as áreas da nossa vida, nos trás grandes prejuízos, uma pessoa indisciplinada, é uma pessoa sem um padrão para sua vida, o cristão deve nortear os seus passos na pessoa do Senhor Jesus Cristo, que é o nosso padrão.

Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” Ef 4.13.

2. A disciplina no Antigo Testamento
Nesse tema o comentarista apenas fez referência de alguns versos do A.T e em seguida fez a aplicação para os nossos dias, para mostrar que a disciplina deve ser utilizada até hoje. Assim não precisamos nos ater sobre a disciplina exclusiva no A.T, uma vez que é apenas para mostrar que ela sempre fez parte da sociedade em especial o povo de Deus.”

- Deus nos revela a importância da disciplina (Jo 5.17);
- Desde os tempos do V.T, Deus requer do seu povo disciplina. Assim, fica claro que Deus exige uma conduta específica para o seu povo, onde o próprio Deus é o paradigma a ser seguido (Lv 11.44-45; 1Pe 1.16).

Essa exigência de Deus para com o seu povo nos leva a entender que o padrão que o mundo segue é ERRADO, que as orientações de conduta do sistema atual não agradam a Deus, pois o mundo “jaz no maligno”.

Infelizmente muitas Igrejas, perderam o padrão requerido por Deus e estão adotando padrões mundanos para si, trazendo esfriamento espiritual, observe o que diz o Sl 101.6, “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo: o que anda num caminho reto, esse me servirá.”

No Brasil a faixa etária da criminalidade é dos 15 aos 24 anos, todos os dias somos “bombardeados” por orientações educacionais e culturais contrários à Palavra de Deus, veja o vídeo, se não bastasse surge ainda Projeto de Lei como esse, que sugere que os pais não corrijam seus filhos de maneira mais enérgica, logicamente não defendemos e não apoiamos as agressões, mas as vezes temos que disciplinar os nossos filhos com resposta “física” é claro que moderada.

Caro professor, temos uma rica oportunidade de alertamos os nossos irmãos (pais) a observarem seus filhos, com quem está andando, o que estão estudando, se estão havendo mudanças em seu comportamento e etc. Aproveite.

Devemos primar pela ortodoxia bíblica, pois a sociedade atual luta para derrubar o “fundamentalismo” e levantar a bandeira do “liberalismo”.

Fundamentalismo é a estrita aderência a um conjunto específico de doutrinas teológicas tipicamente em reação à teologia, foi originalmente designado por seus defensores para descrever uma lista específica de credos teológicos que se desenvolveu em um movimento na comunidade protestante dos Estados Unidos na primeira parte do século XX, ou seja, é uma visão que tem suas bases nas Escrituras Sagradas.

Liberalismo é um sistema político-econômico baseado na defesa da liberdade individual, nos campos econômico, político, religioso e intelectual.

Apesar de a nossa forma de governo ser a Democracia; vivemos um Liberalismo contextualizado, ou seja, não existe na forma de governo, mas existe em outras esferas da sociedade.

Não podemos esquecer a recomendação do próprio Deus, “quem ama disciplina” Pv 13.24; Hb 12.6.

“A disciplina é matéria emanada do nosso Criador; não pode deixar de existir”. Alan Fabiano.

3. A disciplina no Novo Testamento
- Mesmo nos termos da Nova Aliança, Deus requer a disciplina do seu povo;
- Seguindo o raciocínio do sub-ponto 2, vimos que a disciplina requerida por Deus é irrevogável, atravessou 42 gerações num período de cerca de 2000 anos, sendo ratificada pelo Senhor Jesus Cristo, dessa vez trazendo uma exigência ainda maior, ou seja, a disciplina deixa de ser ritualística, formal, cerimonial e passa a ser consciente, interna, no coração, no sentimento do homem, trazendo imediato sentimento de culpa ao pecador por um pecado cometido, exigindo de nós um coração puro. Em o Novo Testamento Cristo “deflagra” o Reino de Deus, que por sua vez está dentro de nós (Lc 17.21), somos agora templo dEle (Jo 14.23) na pessoa do Espírito Santo (1 Co 6.19). Portanto a disciplina passou a ser consciente, ou seja, o cristão sabe o que é e o que não é pecado, conforme a Palavra de Deus.

II. A OFERTA DE ANANIAS E SAFIRA
Para o professor que trabalha mais com aplicação pessoal em sala de aula, este ponto é excelente, contudo, é prudente o professor primeiro expor o conteúdo Teológico da lição e em seguida aplicação na direção do Espírito Santo, o certo é que os alunos devem ser tocados pela Palavra.

O tema principal desse ponto é oferta. Como deve ser oferecida ao Senhor? Quais as consequencias advindas da minha forma de ofertar algo para Deus?

Quando observamos At 4.34-35, vemos um sentimento de comunidade muito forte, é como se os novos cristãos quisessem viver em igualdade social. Note que os que tinham propriedades, vendiam-nas e entregavam o dinheiro aos apóstolos e estes administravam da melhor forma.

Na prática de Ananias e Safira, é visto um sentimento contrário ao pretendido pelos demais irmãos.

Um paralelo entre a atitude tomada por Barnabé e Ananias e safira:

O que vemos em Barnabé – 2 Co 9.7
- Vende sua propriedade;
- Entrega todo dinheiro aos apóstolos;
- Há um sentimento de gratidão pela obra de Deus;
- Há sinceridade;
- Total desprendimento materialista;
- Há uma voluntariedade completa; interna e externa;
- Disposição para viver na dependência de Deus;
- Visão de Reino de Deus.

O que vemos em Ananias e Safira – Mt 15.19
- Venderam sua propriedade;
- Reteve parte do dinheiro;
- Há engano;
- Falsidade;
- Há mentira;
- Má fé;
- Insegurança de viver na dependência de Deus;
- Uma bondade aparente;
- Não há desprendimento total das coisas materiais;
- Visão materialista.

Resposta moral de Deus para eles:
Barnabé - Sucesso na obra de Deus. 11.24;
Ananias e Safira – Repreensão, vergonha e morte. 5.5,10.

Há muitos que estão ofertando algo de valor material para a obra de Deus, mas, estão retendo a fidelidade, a sinceridade, a santidade, a verdade, o coração quebrantado diante de Deus, estão
vivendo enclausurados em um materialista, aparência.

Deus nos convida através desta aula a sermos mais dependentes dEle.


1. O pecado contra o Espírito Santo e a Igreja
- O pecado de Ananias e Safira contra o Espírito santo, não foi o de “blasfêmia”, mas, o da mentira, foi uma atitude carregada de sentimento de engano, e de corrupção.

- Não foi um capricho ou ajeitamento de negócio, pois se fosse não haveria necessidade de omitir o valor recebido pela propriedade; - “Com Deus não se barganha”.

- A prática de Ananias culminou em ofensa ao Espírito Santo, que exigiu da parte de Deus uma disciplina corretiva, para que a corrupção e o engano não se infiltrassem no seio da Igreja de Cristo;

- Hoje temos muitos Ananias e Safira? Temos, mas ao seu tempo Deus os trará uma resposta moral, assim como fez com aqueles;

- Devemos andar diligentemente na presença de Deus, pois a todo o momento recebemos as recompensas de nossas práticas, muitas vezes essas recompensas vêem como um prêmio - uma resposta positiva de algo que estamos esperando, ânimo, alegria e etc..; mas, as vezes vêem como um justo juízo - é um projeto que tinha tudo para dar certo e não deu, é tristeza, desânimo, medo, insegurança e etc.
- Se agimos com fidelidade de corpo, alma e espírito, seremos irrepreensíveis (Ef 1.4), e Deus nos envolverá com a Sua essência.


2. Uma oferta como a de Caim
- Nesse tema pode ser feita várias aplicações pessoais, extraindo o “estado espiritual” de cada ofertante: Os que suas ofertas foram aceitas;
Os que suas ofertas não foram aceitas.

- A estado interior do ofertante, é mais importante que a oferta apresentada;
- Exemplos de oferta recebida:
Abel – Gn 4.4;
A Viúva pobre – Mc 12.42
Barnabé – At 4.36-37

Exemplos de oferta não recebida:
Caim – Gn 4.5;
Nadabe e Abiú – Lv 10.1,2

- Partindo do principio que Deus vê o coração e não apenas a aparência (1 Sm 16.7), devemos pois ter cuidado de nós mesmos ao oferecer alguma oferta para o Senhor. Esta oferta pode ser algo visível, mas, pode ser uma oferta de adoração, vejamos pois, a exigência feita pelo Senhor Jesus aos ofertantes.

“Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali, diante do altar, a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e, depois, vem e apresenta a tua oferta”. Mt 5.23.


III. O EXTREMO DA DISCIPLINA
Quando estudamos o episódio Ananias e Safira, pode até nos vir à mente.... será que eles tinham conhecimento sobre o poder e a justiça de Deus?

Pelo contexto dos acontecimentos, concluímos que eles tinham sim conhecimento do que estavam fazendo, pois, a Palavra de Deus naquela época também era bem divulgada, vejamos:
- Nas sinagogas, todos os sábados eram lidos a Lei, dos Escritos e Profetas;
- Provavelmente tinham conhecimento da Pessoa de Jesus.
Tendo eles conhecimento, não foram punidos inocentemente.

1. A sentença de morte
1. A sentença de morte
Ao ver esta sentença sendo proferida para Ananias, lembramos o caso de Davi, quando o profeta Natã, profere juízo contra ele, e diz “...Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso” 2 Sm 12.15.

Ambos sentiram-se desmascarados e julgados por Deus naquele momento.

Notemos que Satanás por certo tentou contra a vida de Ananias, mas ao invés de recusar a proposta de Satanás, Ananias a alimentou e premeditou as palavras para falar com Pedro.
Assim Deus vendo a má fé no coração de Ananias e Safira, envia uma resposta severa, esta resposta extrema de Deus, tem o objetivo de manter a ordem, a disciplina e manter o grupo coeso.

2. A maldição é retirada do arraial dos santos

- O motivo principal de Ananias e Safira serem punidos. Foi a preservação da santidade na Igreja primitiva, este pecado se não fosse tratado, nos mesmos moldes de Acã, traria prejuízos espirituais para a Igreja Primitiva.

- Quando o pecado é revelado, deve ser tratado imediatamente, com disciplina proporcional, e com visitas à pessoa que cometeu o erro, sabemos que Deus nos perdoa tão logo haja arrependimento, contudo, a disciplina é para manter a ordem na casa de Deus.

- A disciplina, portanto, deve ser pautada na Palavra de Deus, sendo assim, não haverá prejuízos para os demais cristãos e o faltoso será curado.
- Caso contrário a Igreja será prejudicada em sua intimidade com Deus.

- O curioso é que Deus sempre alerta o seu servo sobre a falta cometida ou a que está prestes a cometer, infelizmente, muitos não obedecem a voz de Deus quando vem por meio de um sonho, da Palavra pregada e etc..., sendo necessário Deus enviar um profeta para mostrar-lhe o seu pecado.

- Não podemos esquecer que Deus corrige a quem ama, devemos tão somente sermos obedientes à sua Palavra, fazendo assim seremos vasos de honra na sua casa.

CONCLUSÃO
Vimos nessa revista que Deus de fato corrige a quem ama, essa correção está ligada á Sua santidade, justiça, soberania e imutabilidade. Portanto, se somos chamados pelo Seu nome, devemos aceitar a correção, quando nos for oferecida já na primeira vez, para que Deus não use conosco sua MISERICÓDIA SEVERA, ou seja, leva um servo por amor à sua alma, para que ficando com vida saia da sua presença.

Face o exposto, desejo que todos sejam ricamente abençoados, e que venhamos a acatar os conselhos do nosso Mestre, o Senhor Jesus Cristo.

Deus te abençoe.


COMENTÁRIO DA LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Subsídio - Lição 6


At 5.1-11
1. MAS um certo varão chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade;
2. E reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e, levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos.
- Reteve. A mesma palavra que aparece na tradução grega do A.T (Septuaginta) para descrever o pecado de Acã (Jz 7.1-25). O pecado de avareza, gerou hipocrisia (desejo de manter uma falsa imagem de santidade) e mentira, culminando em afastamento de Deus e destruíção. Ananias queria ser bem visto por ter sacrificado tudo.

Outro aspecto sobre o pecado de Acã, Ananias e Safira, é que o povo de Deus havia acabado de iniciar um novo: Em Josué, a fundação de uma nação; Em Atos, a fundação da Igreja de Cristo.

A mesma falsa santidade demosntraram Nadabe e Abiú (Lv 10.2) e Uzá (2 Sm 6.7). Mas, porque essas pessoas morreram fuminantimentes? Vejamos:
No caso de Nadabe e Abiú (Lv 10.2), eles ofereceram fogo estranho no altar do Senhor;
No caso de Uzá (2 Sm 6.7), tocou na Arca da Aliança irreverentemente;
No caso de Ananias (At 5.1-11), usou de engano ao ofertar.

Podemos ver claramente que se trata da mesma natureza de pecado, ou seja, são pecados cometidos contra as coisas do Senhor ou Lhe são dedicadas , e essas coisas ou ofertas são santas ao Senhor (Nm 4.15).

Ananias e Safira foram os primeiros exemplos de "falta de sinceridade no serviço cristão" ocorridos nos primórdios da Igreja do Senhor Jesus Cristo, essa experiência mostrou à Igreja em formação que "de Deus não se zomba" (Gl 6.7).

3. Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade?
4. Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
- Ananias, por que encheu Satanás o teu coração. No sentido geral da frase, nos leva a perceber uma ação continuada de Satanás tentando por diversos meios, persuadir o ser humano a cair no pecado.

Ainda que Satanás conheça todas as fraquezas humanas e frequêntimente nos sugira maneiras de expressá-las em pecado, os cristãos contamos com a poderosa presença de Deus em suas vidas, na pessoa do Espírito Santo, e podem - pela fé - rejeitar todos os ardis e propostas do inimigo, vencendo assim as tentações.

Os textos de At 4.36,37 - 5.1, 4 deixam claro que as ofertas eram atos voluntários, segundo a generosidade de cada um. Os apóstolos não haviam pedido nada, foi o Epírito Santo quem moveu cada pessoa a contribuir conforme a alegria do coração (2 Co 9.7). Ananias e Safira não pecaram por ficar com parte do dinheiro da venda de sua propriedade, mas sim por haver mentido ao Espírito Santo (Deus) e suporem arrogantemente que é possível ao ser humano pensar ou realizar qualquer coisa fora do pleno conhecimento do Senhor. A ofensa contra a Igreja, habitada pelo Espírito Santo, é insulto e pecado contra o próprio Deus (9.5).


5. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram.
- Caiu e expirou. A disciplina da Igreja, em grande parte, depende da ação corretiva de Deus (1Co 11.30-32; Hb 12.5-11; 1Jo 5.16,17). O poder disciplinador de Deus está em harmonia com seu poder de curar, ressuscitar e conceder a vida eterna. Esta severa correção se dar em virtude de Ananias à semelhança de Acã, tentaram introduzir corrupção no meio do povo de Deus, que se crescesse, ofuscaria o poder do Espírito Santo no meio do povo de Deus.

6. E, levantando-se os mancebos, cobriram o morto, e, transportando-o para fora, o sepultaram.
7. E, passando um espaço quase de três horas, entrou, também, sua mulher, não sabendo o que havia acontecido.
8. E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendestes por tanto aquela herdade? Ela disse: Sim, por tanto.
9. Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí, à porta, os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti.
10. E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os mancebos, acharam-na morta, e a sepultaram junto do seu marido.
11. E houve um grande temor em toda a igreja, e em todos os que ouviram estas coisas.
- Grande temor. Essa consequênca drastica, foi necessária principalmente porque a Igreja estava dando os seus primeiros passos, era fundamental que todos soubessem que o Espírito Santo é a própria pessoa de Deus habitando o corpo do crente, e não um tipo de energia qualquer. Além disso a Igreja do Senhor Jesus, não é uma empresa comércial, tampouco um negócio onde a hipocrisia, fraude ou corrupção possa ser aceita, é necessário portanto, uma ação corretiva de Deus em alguns casos.

O temor provocado em virtude da correção, se dar justamente porque revela a presença real de Deus em nosso meio, sendo assim temos a certeza absoluta que Ele está vendo tudo, e todas as coisas estão patentes ao Seus olhos (), e que Ele está ativo envolvido nos assuntos humanos, pois Ele é pessoal, sendo Ele um Deus que se relaciona com o seu povo, logo entendemos que Ele está nos assistindo com aprovação ou reprovação.

Mas, o temor do Senhor é o princípio da sabedoria (Pv 1.7; 9.10), simplesmente quer dizer que vivemos diante da presença real de Deus, e isso faz uma grande diferença em como nós decidimos levar nossas vidas.

- Igreja. Esta é a primeira vez que aparece a palavra "Igreja" no livro de Atos, gr. (Ekkesia), significava os cidadãos de uma cidade reunidos com poder legislativo. Porém no N.T, refere-se a congregação dos crentes locais ou o povo de Deus Universal sem distinção de raça ou língua.


Fontes:
Bíblia de estudo SHEDD.
Novo Testamento. King James, Edição de Estudo.
RICHARDS, O. Lawrence. Comentário Hitóico - Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro. CPAD, 2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.