Páginas

domingo, 30 de maio de 2010

ESPERANDO CONTRA A ESPERANÇA


ESPERANDO CONTRA A ESPERANÇA - LIÇÃO 09

Objetivos:
Saber
que a esperança é uma das virtudes fundamentais da fé cristã.
Explicar a expressão “angustia de Jacó”
Compreender que dias atribulados estão reservados a Jerusalém, mas o Senhor jamais a desamparará.

INTRODUÇÃODivide-se em três partes:
1ª Parte
Fala do cativeiro:
O Reino do Sul [Judá] foi deportado para a Babilônia, por Nabucodonosor, em três etapas:
1ª em 606 a.C;
2ª em 597 a.C e
3ª em 586 a.C.
Na ultima etapa [586] foram destruídos o templo e a capital [Jerusalém], pelo exercito de Nabucodonosor.
2ª Parte
Tribulações futuras, ainda piores – (Grande Tribulação), chamado também de “Angustia de Jacó”
3ª Parte
Conforta o profeta e o povo, prometendo uma esperança e uma independência futura.
4ª Parte
Aprender a crer contra a própria esperança [Rm 4.18] – aplicação.
Vale de ossos secos – Ez 37.12.
Analise: Rm 4.18
Abraão recebera uma promessa de ser pai de uma grande nação (Gn 15.6) (esperança). 
Fatores desfavoráveis – idade avançada e Sara já não tinha período fértil. (impossível).
Abraão crendo na promessa, esperou contra todos os fatores desfavoráveis. 

I. O QUE É A ESPERANÇAVirtude principal da fé cristã – I Co 13.13.
1. Definição.  Esperança. Disposição interior que nos leva a esperar a realização de algo desejado ou prometido; expectativa.
No sentido Bíblico. É a certeza pela fé, do cumprimento das promessas que foram feitas por Deus [2 Co 1.20].
Deus nos promete o impossível, temos que acreditar, por que Ele é todo poderoso.
Deve ser viva – I Pe 1.3.
As vezes pode fugir de nós, mas Deus nos devolve, pelo seu amor – At 27.20.
Não morre para o justo – Pv 14.32

2. A esperança no livro de Jeremias. 
Profeta das lágrimas; Mas é visto também como o profeta da esperança – Jr 14.8.
Porque Jeremias é o profeta da esperança?
Porque ele profetizava angustia, sofrimento e juízo, mas, proferiu muitas mensagens de esperança para o povo Judeu, que se cumpriram e outras que não se cumpriram. 
Mensagens de esperança. Vejamos:
“E há esperança quanto ao teu futuro, diz o Senhor, porque teus filhos voltarão para os seus termos” (31.17).
“E removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel, e os edificarei como ao princípio” (33.7).
“Também rejeitarei a descendência de Jacó, e de Davi, meu servo, para que não tome da sua descendência os que dominem sobre a descendência de Abraão, Isaque, e Jacó; porque removerei o seu cativeiro, e apiedar-me-ei deles” (33.26).
“Porque eis que vêm dias, diz o Senhor, em que farei voltar do cativeiro o meu povo Israel, e de Judá, diz o Senhor; e tornarei a trazê-los à terra que dei a seus pais, e a possuirão” (30.3).
“Assim diz o Senhor: Eis que farei voltar do cativeiro as tendas de Jacó, e apiedar-me-ei das suas moradas; e a cidade será reedificada sobre o seu montão, e o palácio permanecerá como habitualmente” (30.18).
“Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que esta cidade será reedificada para o Senhor, desde a torre de Hananel até à porta da esquina” (31.38).
II. A ANGUSTIA DE JACÓ – 30.7Além das profecias acerca da restauração futura de Israel, Jeremias profetizou também sobre uma grande tribulação que ainda está por vir, não apenas sobre a nação de Israel, mas também sobre todo o mundo.
Este período é descrito na Bíblia como:
Angústia de Jacó” (Jr 30.7);
Grande Angústia (Dn 12.1);
Dia do Senhor (Sf 1.14; Zc 14.1);
Grande Aflição (Mt 24.21);
Ira do Cordeiro (Ap 6.15-17) e
Grande Tribulação” (Ap 7.14).

1. A angústia de Jacó Angústia – Aflição demasiada do corpo, da mente ou do espírito. Tristeza, remorso ou desesperos excessivos.
Jacó – representado pela nação de Israel.
A Angustia de Jacó é a tribulação que haverá de recair sobre Israel, mas no decorrer das profecias é a mesma que as demais nações (Is 13.11; Ap 3.10) irão enfrentar, após o arrebatamento da igreja (1 Ts 1.10; 5.9; Lc 21.35,36; Ap 3.10). 

2. Profecia de Ezequiel Nos cap. 38 e 39 – fala sobre a invasão de Gogue e Magogue, Mas Deus o livrará

3. Profecia de Daniel
Daniel (Dn 9.24-27), define a duração desse DIA DE IRA do Senhor. [7 anos].
As 70 semanas, na ultima semana o príncipe do povo firmará uma aliança por uma semana, mas será rompida na metade desta [Dn 9.27].
Haverá perseguição, mas Deus os livrará [Dn 12.1].

4. Profecia de Zacarias Exercito de todas as nações se ajuntarão contra a nação de Israel. Mas Deus trará socorro imediato, e todo Israel reconhecerá o Messias [Zc 12.10].
Deus cumprirá sua promessa feita ao seu povo – Rm 11.26.
III. O RESTABELECIMENTO DE ISRAEL Profecia de Jr 30.10.  Ainda em cumprimento. 
1. A volta de Israel à sua terraReino do Sul.Inicio do cativeiro do povo de Israel – 722 a.C.  [2 Rs 17.6] – Dominados pelos Assírios, que destruíram o Reino do Norte [Israel], levando cativas as dez tribos [Ruben, Simeão, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Manessés e Efraim] para a Assíria. Trazendo outros povos para habitar na cidade de Samaria, deu-se origem à religião mista dos samaritanos (2 Rs 17.29-41), que se prolongou até os tempos do Novo Testamento (Jo 4.9).
Mas, Deus promete trazer as dez tribos de volta à sua terra – Ez 48.1,2,32.

Reino do Norte. Um século após a queda de Samaria, o império babilônico é restabelecido [626-539 a.C] e continuam as deportações. [606 - 586], e o retorno dos judeus para sua terra em 536 a.C. 
Deporta para a Babilônia os judeus em três etapas.  
1ª em 606 a.C,
2ª em 597 a.C e
3ª em 586 a.C.
Este cativeiro duraria 70 anos [2 Cr 36.22], mas a nação não foi de tudo retaurada, sendo possivel somente no reino do Messias (Dn 9.24-27). 
Mas Deus tambem promete retorna-los [Jr 30.10]. (Milenial).

2. O estabelecimento do estado de Israel A profecia começa a se cumprir, após muitos anos
Com o fim da segunda guerra mundial em 1945. Os judeus que estavam em cativeiro em várias nações e os que não morreram no holocausto de Hitler, começam a retornar para a sua terra e o jugo (30.8) começa a ser quebrado, em maio de 1948, Israel é reconhecido como Nação independente, e judeus de varias partes começam a retornar para sua terra, conquistado sob muito esforço e votações acirradas.
3. A retomada de Jerusalém Jesus afirmou que Jerusalém seria pisada, até que se completassem o tempo dos gentios (Lc 21.24).
Pode ser considerado a partir de 722 quando os Assírios dominaram Israel e 116 anos depois os babilônicos tomaram Jerusalém.
Deus começa a reverter a situação, em 1967 os Israelenses retomam uma parte da Cidade Santa.
Em 1980 Jerusalém é proclamada a capital una e indivisível de Israel.

Conclusão.  A mensagem de Jeremias não era apenas de caráter condenatório. Ele também profetizou futuras bênçãos que, após o exílio babilônico viriam sobre a nação, onde o próprio Deus iria restaurar àquela nação (Jr 31.23), permitindo ao povo desfrutar de seus antigos privilégios (Jr 30.20). Ele predisse ainda que a devastada cidade de Jerusalém voltaria a ser habitada (Jr 30.17-20) e reconstruída (Jr 31. 4,38; 33.7) a ponto de cada edificação destruída pelos babilônicos ser reerguida em seu lugar original (Jr 30.18); que as peregrinações a Jerusalém voltariam a ocorrer, realizadas não apenas pelo povo judeu (31.6; 12-14; 31.11), mas também do mundo inteiro (31.17); e que Jerusalém será chamada de “o Trono do Senhor” (3.17), “morada de justiça” e “santo monte” (31.23), além de “o Senhor é nossa justiça” (33.16; 23.6). Algumas dessas profecias já se cumpriram. No entanto, muitas delas só terão seu cumprimento no futuro, quando o Senhor Jesus, por ocasião da Segunda Fase de sua Segunda Vinda, implantar o Reino Milenial (Ap 20.1-6).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.