Páginas

terça-feira, 27 de abril de 2010

O PODER DA INTERCESSÃO

SUBSÍDIO - LIÇÃO 5

Objetivos:
Compreender o que é intercessão segundo os padrões bíblicos.
Explicar por que Jeremias intercedia por Judá, mesmo sabendo que o povo estava afastado de Deus.
Saber que a intercessão é uma recomendação bíblica.

Antes de comentar sobre o conteúdo da lição, segue abaixo um breve comentário da leitura Bíblica em classe.

Leitura Bíblica em Classe.
Jeremias 14.1-3, 7, 8, 10; 15.1

14.1 – 15.21 O povo de Judá está tão endurecido em seus pecados, que Deus não responderá nem mesmo uma oração intercessória feita por Jeremias, pedindo que eles fossem libertos do castigo da seca. Em resposta à pergunta de Jeremias se Deus havia completamente rejeitado a Judá (14.19), Deus replica que o castigo vindouro é inevitável, contudo, assegura a Jeremias o livramento pessoal dos inimigos.

1 A PALAVRA do Senhor, que veio a Jeremias, a respeito da grande seca.
Grande seca. Trata-se de uma grande seca que viria sobre o povo de Judá, que viria sobre o povo como fruto do seu pecado, pois eram infiéis ao Senhor e ao seu concerto (Lv 26.18,19; Dt 28.22-24). O povo rejeitara a Deus fonte das água vivas (2.13) – e agora ficariam sem suprimento de água natural.
2 Anda chorando Judá, e as suas portas estão enfraquecidas: andam de luto até ao chão, e o clamor de Jerusalém vai subindo.
Portas. Lugar onde o povo geralmente se reunia (Rt 4.1,2,11). Ali até os casos legais eram resolvidos.
3 E os seus mais ilustres mandam os seus pequenos buscar água; vêm às covas e não acham água; voltam com os seus cântaros vazios; envergonham-se e confundem-se, e cobrem as suas cabeças.
Covas. Tanques ou reservatórios para água, nos tempos de necessidade. Nessa ocasião estavam vazios. Cobrem a cabeça. Sinal de profundo lamento, tristeza ou confusão.
7 Posto que as nossas maldades testifiquem contra nós, ó Senhor, opera tu, por amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti pecámos.
Nossas rebeldias. À semelhança de Moises, Daniel e Neemias, que pleitearam em favor do seu pecaminoso povo, Jeremias identifica-se com aqueles que mereciam punição. Não se trata tanto “deles”, mas de “nós”. Jeremias assume o lugar do povo se expressando como um deles.
Rebeldias. Apostasias.
8 Oh! esperança de Israel, e Redentor seu, no tempo da angústia! porque serias como um estrangeiro na terra? e como o viandante que se retira a passar a noite?
Esperança. A palavra no original, significa “poço”. Uma palavra surpreendente em tempos de seca.
Redentor. Ou Libertador como em uma batalha.
Viandante. Visitante na terra, que não tinha interesse no país e no bem-estar do seu povo. Nota-se os dois títulos especiais de Deus.
10. Assim diz o Senhor acerca deste povo: Pois que tanto amaram o afastar-se, e não detiveram os seus pés, por isso, o Senhor se não agrada deles, mas agora se lembrará da maldade deles, e visitará os seus pecados.
A última frase é uma citação ousada de Os 8.13. Já naquela época, as profecias de Oséias eram considerada a voz de Deus, como é o fato de todos os profetas da Bíblia (1 Pe 1.10-12; 2 Pe 1.19-21).

Capitulo 15.1.
1. DISSE-ME, porém, o Senhor: Ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, não seria a minha alma com este povo: lança-os de diante da minha face, e saiam.
Moises e Samuel. Repetidas vezes salvaram os israelitas da destruição (Ex 17.11; 32.11ss; Nm 14.13; I Sm 7.9ss; Sl 99.6). Nem mesmo eles poderiam ajudar o povo nesta ocasião.

INTRODUÇÃO
Nesta aula aprenderemos um pouco sobre a abrangência da intercessão no mundo sobrenatural. Aprenderemos com Jeremias que a intercessão tem um valor especial e uma eficiência que não imaginamos.
No decorrer desse estudo entenderemos o que a Bíblia nos revela sobre os aspectos da intercessão, e após o estudo será impossível não interceder.

I. O QUE É A INTERCESSÃO
Intercessão. É a oração que fazemos a Deus em favor do próximo, assumindo seu lugar na presença de Deus.
A oração intercessória também chamada de oração sacerdotal, em virtude do seu caráter, pois o sacerdote se colocava entre Deus e os homens para pleitear por estes alguma coisa.
Constitui demonstração de amor (Mt 5.44).
É obrigação do verdadeiro cristão ( 1Sm 12.23; 1Pe 2.9).

A oração intercessória é eficaz porque é dirigida ao Único Deus Criador dos Céus e da Terra tendo uma abrangência imensurável.
Agi no mundo espiritual e/ou físico (Jr 23.24)
Pode muito em seus efeitos (Tg 5.16)
Destrói as forças das trevas, mudando situações (At 12.12)
Não se limita à distância, penetram nas nações não alcançadas e cruzam as barreiras geográficas, culturais e políticas ( Jr 23.23)
Muda efetivamente o destino de indivíduos, famílias e nações inteiras, ainda que não vejamos os beneficiados com os olhos naturais (Gn 18.22-33).

Você realmente pode ajudar a salvar as vidas e almas de homens e mulheres, rapazes e moças e pode estender o Evangelho do Reino de Deus, no seu contexto social e ao redor do mundo enquanto você intercede em oração.

II. JEREMIAS INTERCEDE POR JUDÁ
O Cap. 14 refere-se à quinta mensagem de Deus à Jeremias (Jr 14.1-15.9).
Diz respeito à seca na terra.
A desolação da terra (Jr 14.1-6). A desolação do país era completa, abrangendo-o na sua inteireza (2), bem como aos nobres (3), ao solo (4), e aos muitos animais (5-6). O Senhor dirigiu a Sua palavra a Jeremias acerca desta seca e todas as suas conseqüências devastadoras, desgraça tal, que motivou as orações intercessória do profeta pelo povo de Judá. Imagem que causa medo, isso é agravado pelo fato de a expressão, "porquanto não há erva" (5-6) ser expresso duas vezes.

A partir do v.7, Jeremias suplica a Deus pelos judeus (Jr 14.7-9). Iniciando a intercessão de uma forma exemplar e verdadeira – assume o lugar dos transgressores e por eles intercede. Nessa atitude o profeta assume um “tipo” de Cristo, uma vez que o Senhor assumiu o lugar dos transgressores e por eles intercede (Is 53.12).

Jeremias foi chamado por Deus para ser profeta às nações (1.1) e outorgo-lhe uma autoridade especial “procuração” para agir em nome de Deus às nações (1.10), portanto Jeremias era a pessoa competente para interceder a Deus pelos judeus, inclusive usando a autoridade que lhe fora confiada pelo próprio Deus, contudo, não foi atendido de imediato.
A Bíblia diz que há tempo para todas as coisas (Ec 3. 1-8), este é o tempo de Deus, é um tempo que não conseguimos definir, não é um tempo que conseguimos programar, é o tempo exclusivo de Deus, só Ele tem o controle.
Deus havia alertado os judeus várias vezes por vários profetas, contudo, não obedeceram, e quando obedeciam, era apenas por um pouco de tempo e logo voltavam a praticar o que era mal aos olhos do Senhor. Havia então chegado o tempo da colheita dos “frutos de seus atos” (6.19). Havia chegado o tempo que Deus traria sobre eles o juízo devido.
Não era um tempo para as orações do profeta serem ouvidas (7.16), mas, um tempo para mudança de comportamento entre o povo. Logo, até mesmo se Moisés e Samuel rogassem a Deus, não seriam ouvidos (15.1).
Podemos afirmar que era tempo para conserto, arrependimento, transformação de vidas, correção de atitude, conversão, era tempo para virarem as costas para os ídolos (Ez 14.6) e retornarem ao primeiro amor (2.2).

Quando alguém está sendo provado por Deus, ou quando o Soberano quer um particular para moldar o seu servo – a oração intercessória empenhada não terá o seu efeito de imediato, porem, não será esquecida, dará o seu resultado no tempo de Deus.

III. POR QUE DEVEMOS INTERCEDER
A oração intercessória é a prática comprobatória de que o crente é de fato um sacerdote diante de Deus. A Palavra de Deus declara que nós somos um sacerdócio santo (1Pe 2.5), um sacerdócio real (1Pe 2.9), e um reino de sacerdotes (Ap 1.6).

Para melhor compreensão do chamado à intercessão sacerdotal se encontra no exemplo do sacerdócio levítico do Antigo Testamento. A responsabilidade do sacerdote era estar de pé perante e entre.

Ele estava de pé perante Deus para ministrar a Ele com sacrifícios e ofertas. Os sacerdotes também estavam de pé entre um Deus justo e o homem pecador reunindo-os no lugar do sacrifício de sangue.

Hebreus 7. 11-19, explica a diferença entre os ministérios do sacerdote do Antigo Testamento e do Novo. O Antigo Testamento o sacerdócio levítico era passado adiante de geração a geração através dos descendentes da tribo de Leví.
Já o “sacerdócio de Melquisedeque” falado nesta passagem é a “nova ordem” de sacerdotes espirituais de quem o Senhor Jesus é o Sumo Sacerdote. É passado adiante até nós através de Seu sangue e de nosso nascimento espiritual como novas criaturas em Cristo, recebendo dEle mesmo a ordem de ligar e desligar (Mt 18.18).

Devemos interceder em favor de todos os homens (1Tm 2.1), ainda que seja um inimigo (Mt 5.44).

Devemos interceder por que recebemos de Deus esta incumbência, que na realidade é um privilegio imensurável, pois significa que entre nós e Deus não há barreira. Aleluia!

CONCLUSÃO
A oração sacerdotal deve fazer parte da rotina do cristão, é algo grandioso e traz crescimento espiritual para o crente, quando o cristão intercede por alguém, Deus o recompensará (Jó 42. 7-12). Não podemos esquecer que “TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu ”. Ec 3.1. Deus trata com cada pessoa em particular para um fim específico, há momentos que a oração intercessória não trará resposta de imediato, contudo, jamais será em vão.

Bibliografia
Bíblia Shedd. Revista e Atualizada. São Paulo, SP: Vida Nova, 2ª Ed. 1997.
Bíblia de Estudo de Genebra, Revista e Atualizada. São Paulo, SP: Cultura Cristã, 2ª Ed. 1999.
Bíblia de Estudo Pentecostal, Revista e Corrigida. Brasil: CPAD, Ed. 1995.
BOYER, Orlando. Pequena Enciclopédia Bíblica. São Paulo, SP: Vida, 29ª Ed. 2000.
AMORA, Soares. Minidicionario da língua portuguesa. São Paulo, SP: Saraiva, 19ª Ed. 2009.
Manual de Intercessão Webmissionary.
DAVIDSON, F. O Novo Comentário da Bíblia. São Paulo, SP: Vida Nova, 3ª Ed. 1997.


2 comentários:

  1. Paz do Senhor Jesus. Tudo bem com o Sr? espero que sim. Estava visitando seu Blog e gostei muito, principalmente por saber que o Senhor também é professor da Escola dominical, bom primeiro deixa-me apresentar. Sou Cristiano Rodrigues da Silva, sirvo a Deus na Assebleia de Deus em São paulo e sou professor de escola dominical.creio que poderiamos esta trocando idéias para melhoria da EBD, depois o Senhor visita meu Blog que crie também para este próposito. Fique na Paz do Senhor Jesus e segue meu endereço.
    cristianoebd.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Paz do Senhor Jesus, obrigado pela visita e pela participação, com certeza podemos trocar ideias, estou à disposição para trabalharmos em prol da obra de Deus.
    Que Deus continue te abençoando. Alan Fabiano

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.