Páginas

domingo, 28 de março de 2010

SOLENES ADVERTÊNCIAS PASTORAIS

LIÇÃO – 13 28 DE MARÇO DE 2010.
SOLENES ADVERTÊNCIAS PASTORAIS
Hb 4.12
Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”.

Lc 5.36-38 “E disse-lhes, também, uma parábola: Ninguém tira um pedaço dum vestido novo para o coser em vestido velho, pois que romperá o novo e o remendo não condiz com o velho. E ninguém deita vinho novo em odres velhos; de outra sorte, o vinho novo romperá os odres, e entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão; Mas o vinho novo deve deitar-se em odres novos, e ambos, juntamente, se conservarão”.

APRESENTAÇÃO/ABERTURA.
A primeira carta problemas internos. “ Uns reivindicava superioridade (1-4); outro mais espirituais (7); outros não comiam carne vendidas no mercado (8); outros superioridade por sua posição social (11); outros por mais espirituais por falar mais em línguas (12-14)”.

A segunda carta problemas externos. // Davi cuidando das ovelhas.
“Respostas aos críticos (1-7); O caráter do seu ministério (4-6); Paulo afirma sua autoridade apostólica (10-13)”

Texto Áureo
“Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos” 2 Co. 13.5a.

Verdade Pratica
“... disciplinar a igreja com amor...”

Leitura Diária:
Sedes unânimes – Rm12.16 = At4.32 ... E era um o coração e a alma da multidão dos que criam...
Suportai as fraquezas dos fracos – Rm15.1 = Mc12.31...Amarás o teu próximo como a ti mesmo...
Nada façais por contenda – Fp2.3 = Lc14.11 ...exaltar será humilhado,e aquele que se humilhar será exaltado.
Regozijai-vos, sempre, no Senhor – Fp4.4 = Mt11.4-5 ... Os cegos vêem, e os coxos andam...
Buscai as coisas que são de cima – Cl3.1 = Mt6.33 ... buscai primeiro o reino de Deus ...
A vossa palavra seja sempre agradável – Cl4.6 = Lc4.22 ... das palavras de graça que saíam da sua boca...

“Se as advertências dadas por Paulo aos Corinto serviram; Muito mais em nossos dias”.
Objetivos:
Refletir
a respeito da firmeza e determinação do apostolo;
Compreender que o objetivo da disciplina na igreja é edificar moral e espiritualmente as pessoas, e não destruí-las;
Saber que o amor fraternal deve prevalecer na vida do cristão autêntico.

INTRODUÇÃO
Paulo conclui a defesa de sua autoridade apostólica (12.11-13), adverte a igreja e prepara-a para a terceira visita.
- Na primeira visita => estabeleceu a igreja – 2ªviagem missionária.
- A segunda visita foi rápida e dolorosa – (2.1; 7.12; 12.14,21; 13.1,2). 3ªviagem. (At12.1; 1Co 16.5,6).
-Os problemas continuaram –> Paulo escreve uma “carta severa” (2.3,4,6,9; 7.8,12) que foi entregue por Tito (2 Co 8.6a) –> A carta severa (não foi preservada) traz resultados positivos (7.5-16) -> Paulo então escreve a carta que conhecemos por 2 Coríntios.
- Nos cap.12-13, prepara a igreja para uma terceira visita -> com o objetivo de conciliar e disciplinar (13.1,2), porem, com amor de pai espiritual (12.14,15) – esta 3º visita aconteceu ou não?
- O que o motivava? – motivado pela...
- R. A responsabilidade como o evangelho; esforçava-se para tirar as dúvidas e consolidar a fé dos santos.

I. PREOCUPAÇÕES PASTORAIS DE PAULO (12.19-21)
1. DEFENDER SEU APOSTOLADO EM CRISTO (V.19) – R.1
Rm 11.36 “Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele, eternamente. Amem”.
- Paulo deixa claro que seu objetivo não é de justificar-se (1 Co10.33; 2 Co12.15) diante de seus inimigos; mas defender o seu ministério perante o Senhor que o chamou. (At9.15)
Objetivo de sua defesa:
- Provar à Igreja que Deus era seu Juiz;
- Provar que sua comunhão com Cristo dava-lhe autoridade para representá-Lo (embaixador) -> autoridade dada a todos por Jesus – Mt28.18-20.

2. O TEMOR DE PAULO EM RELAÇÃO À IGREJA DE CORINTO (V.20)
O que Paulo temia?
- Não encontrar os crentes como gostaria;
- Ser visto de forma diferente pelos irmãos de Corinto;
- Encontrar entre eles => contendas, invejas, iras, porfias, detrações, intrigas, orgulhos e tumultos.
Alguns irmãos achavam-se em falta diante da congregação e diante de Deus.
Sendo necessário uma correção mais severa.
Não podendo deixar de assim o fazer, pois era a pessoa competente para tal.

Tg.4.17 - Aquele, pois, que sabe fazer o bem, e o não faz, comete pecado.

Jr 23.1,2 - AI dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o Senhor.
Portanto, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, acerca dos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes: eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o Senhor.

3. A SITUAÇÃO DA IGREJA DE CORINTO (V.20,21)
Havia dons espirituais e poder – I Co 12-14 – Pentecostal
Apesar disso estava cheia de pecados:
Pecados que destruíam as bases da vida cristã e deveriam ser eliminados.
- Pendências judiciais; invejas; iras; porfias/discussão/contendas de palavras; mexericos/fuxico/segredinhos/fazer intrigas; orgulhos; tumultos; imundícias; prostituição e desonestidade.
O que isso mostra?
- Apesar das manifestações do Espírito santo no meio deles; havia também problemas espirituais – I Co 5;
- Haviam crentes que não tinham se convertido de fato – I Co 15.34;
- Estavam corrompendo os bons costumes – I Co 15.33;
- Promovendo divisões no meio da igreja – I Co 1.10; 11.18.
Paulo agiu como um verdadeiro pastor, cuidando de toda igreja (I Co5.6; Gl5.9) e não só de um grupo isolado ->promete uma visita para uma disciplina mais severa (13.1), mas, com amor de pai espiritual (12.14,15).
Temos dois grupos de crentes em Corinto:
Os que praticavam os pecados acima -> aplicação -> deixar/arrepender-se
Os que não praticavam -> aplicação -> orar e vigiar (Mt26.41; Jo6.36).
Aplicação -> devemos buscar dons e crescimento espiritual.
I Co 13.1 AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine.

II. O PROPÓSITO DA DISCIPLINA DA IGREJA POR PAULO (12.21;13.2-4)
1. PROMEOVER A PAZ E O ARREPENDIMENTO DOS PECADORES (VV.12.21; 13.2)
Disciplina -> Ensino, Educação, conjunto de prescrições destinadas a manter a boa ordem.
No Novo Testamento -> Ensino, Mt 28.20; Exortação, 1 Tm 4.13; Educação, Hb 12.4-11; Admoestação, 1 Co 4.14; Repreensão e Convicção (“expor à luz”, “convencer”, “punir”), Jo 16.8; Correção, 2 Tm 3.15-17 e Ef 4.12.

Todo pecado cometido traz sua conseqüência, moral e espiritual.
Conseqüências do pecado -> Perca da comunhão com Deus, destruição, frustração, tristeza, angustia, insegurança espiritual, frieza espiritual, crise espiritual e morte espiritual (Rm6.23).
Objetivos da disciplina:
Promover a paz, arrependimento e servir de exemplo para os demais irmãos.
O objetivo de Paulo era -> fortalecer a fé e desenvolver a maturidade cristã nos irmãos de Corinto.
O que determina se isso vai acontecer ou não é
A FORMA DE DISCIPLINAR
A maneira de aplicar a disciplina pode restaurar ou destruir o disciplinado.
O AMOR do pastor deve superar as falhas cometidas – I Co 4.14; 2 Co 2.6-8.

A disciplina deve ser aplicada. Não disciplinar é uma postura irresponsável e diretamente contrária ao que recomenda a Bíblia Sagrada (Hb 12.11). – não deve haver acepção de pessoas. Tg.4.17 - Aquele, pois, que sabe fazer o bem, e o não faz, comete pecado.

A banalização da disciplina. A banalização da disciplina acontece quando mesmo sem nenhum sinal de arrependimento ou contrição, o pecador é recebido ou integrado novamente. – aqui a disciplina é simplesmente um instrumento insignificante.

A disciplina do Senhor tem dois propósitos gerais:
1. Que não sejamos, condenados com o mundo (1 Co 11.31-32);
2. Que compartilhemos da santidade de Deus e continuemos a viver uma vida santificada, sem a qual nunca veremos o Senhor (vv. 10, 11, 14).
Devemos aceitar a aproveitar a disciplina para o nosso crescimento espiritual.
“Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes”. Mt 9.12.

2. AFIRMAR O CARATER CRISTÃO DE SEU APOSTOLADO (13.2,3)
Considerando que seu chamado foi diretamente pelo Senhor Jesus e que Este era seu modelo de Líder-Servidor, suas atitudes eram baseadas nos ensinamentos de Cristo.
Mt 23.13-33, Mt 7.22 entre outros.

Como a igreja deve se apresentar diante de Deus?
Ler – Ef 5.25-27.

É possível sem disciplinas?
Não.

III. ALGUMAS RECOMENDAÇÕES FINAIS (VV. 5-11)
1. PAULO ENCERRA SUA CARTA COM UMA ADVERTÊNCIA (13.5)
“Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis, quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados”.
Examinar -> considerar, analisar de modo atento, interrogar, estudar... (reflexão)
Provar -> demonstrar a verdade, fazer conhecer, testemunhar... (prática)
Para isso é necessário haver um modelo, já estabelecido.
O modelo é Cristo, e a sua Palavra, só Ele é a verdade infalível.
A Palavra deve ser nossa regra de fé e prática.

“E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda”. I Jo 2.28.

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada”. Jo 14.23.

2. PAULO ENCERRA SUA CARTA COM UM DESEJO (13. 7-9)
Apesar da aparente deficiência espiritual dos irmãos Coríntios, Paulo sempre demonstrou seu credito de confiança neles, nunca desistindo.
Deseja que os crentes de Corinto sejam aprovados na auto-avaliação.

3. ÚLTIMAS RECOMENDAÇÕES (13.11) - ler v.
Paulo esquece um pouco os faltos e se despede abençoando os irmãos com alegria.
Recomendações que exigem atitudes.
1. Aperfeiçoai-vos; => Buscar maturidade cristã.
Atitudes:
Buscar crescer na graça e no conhecimento – 2 Pe 3.18;
Buscar alimento sólido – Hb 5.12;
Caminhar duas milhas com quem nos convida a caminha uma – Mt 5.41.
2. Consolai-vos, encorajai-vos => Não desanimar diante das adversidades e decepções.
Atitudes:
Crer que somos mais que vencedores em Cristo – Rm 8.37;
Não recuar - Hb 10.38;
Crer que Cristo nos garante a vitória – Jo 16.33.
3. Sede do mesmo parecer = > Paulo deseja um perfeito relacionamento dos irmãos, mesmo tendo diferentes opiniões é possível, pelo o amor de Cristo.
Atitudes:
Renúncia e respeito mútuo => renunciar as minhas vontades, respeitar opiniões;
Amor não fingido – Rm 12.9;
Estar em comunhão – At 2.46.
4.Vivei em paz.
Atitudes:
Seguir as coisas que contribuem para a paz – Rm 14.19;
Não alimentar as más conversações (1 Co 15.33) sobre ou contra o próximo;
Orar uns pelos os outros.

Reafirma a promessa.
Reafirma a promessa de Jesus aos discípulos – “Eis que estou convosco até a consumação dos séculos” Mt 28.20.

CONCLUSÃO
Depois de tantas defesas e advertências Paulo encerra a carta com a benção apostólica ou trinitariana.
“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo, seja com vós todos! amem”.
Paulo apresenta a TRINDADE -> através da GRAÇA manifestada no FILHO => nos foi revelado o AMOR do PAI = > que habita em nós na pessoa do ESPIRITO SANTO nos trazendo comunhão com o próximo e com Deus.
Que nós venhamos viver cada vez mais em comunhão uns com os outros e com Deus.
Por Alan Fabiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.